Vendas da Black Friday crescem 23%, mas reclamações também sobem

As vendas da Black Friday cresceram mais do que o previsto em 2018. O comércio eletrônico faturou o equivalente a 2,6 bilhões de reais, uma alta de 23% em relação a 2017, segundo levantamento da Ebit|Nielsen. A estimativa inicial era de um aumento nas vendas de 15%.

Segundo Ana Szasz, líder comercial para Ebit|Nielsen, o sucesso da Black Friday pode ser explicado por vários motivos, como o aumento das vendas já na quinta-feira, 22. “A véspera foi acima da expectativa do mercado, o que mostra que o consumidor já entendeu que a quinta-feira à noite já é Black Friday”, disse.

Já as vendas da sexta-feira foram marcadas por mais caros, como smartphones, itens de linha branca e TVs. “A marca da Black Friday do ano passado foi superada por volta das 17h. O consumidor aproveitou a volta do trabalho a noite também para fazer compras.”

Outro motivo é que os varejistas estavam mais estocados e melhor preparados para suportar o tráfego extra da data.

Reclamações

O site Reclame Aqui recebeu 5.607 reclamações das 11h da quarta-feira, 21, até as 23h59 da sexta, 23. Isso representa um aumento de 20% na comparação com 2017.

As principais queixas foram sobre propaganda enganosa e maquiagem de preço, com 14,2% dos casos. Na sequência, ficaram empatadas divergência de valores e problemas na finalização da compra, com 7,6%.Em seguida, apareceram as queixas sobre atraso na entrega (3,9%). Depois vieram reclamações sobre estorno do valor pago (3%).

Os produtos mais reclamados permaneceram os mesmos dos dois dias de pré-Black Friday: smartphones e celulares (11,6%), TV (5,3%), passagem aérea (4,7%), tênis (3,6%) e cartão de crédito (2,9%).