Produtor musical enfrenta câncer avançado e compõe trilha de série

A história de superação do multi-instrumentista Patrick de Jongh daria um filme, com enredo dramático, mas repleto de força e esperança

Quando o multi-instrumentista holândes Patrick de Jongh recebeu o convite para criar a trilha sonora da série Colônia, disponível no Canal Brasil e Globoplay, não imaginou que sua vida tomaria contornos tão dramáticos quanto os dos personagens da ficção. Surpreendido por um grave acidente de carro, seguido da descoberta de um câncer com metástase na tireoide, o produtor musical se manteve inabalável e não saiu do estúdio até compor todos os sons da obra de André Ristum (O Outro Lado do Paraíso).

A trama conta a história do hospício Hospital Colônia de Barbacena — que funcionou por quase um século e onde morreram mais de 60 mil pessoas—, através de Elisa (Andréia Horta), vítima de uma internação injustificada. Em cada acorde, Patrick se valeu da própria angústia para entender as dores dos pacientes de Colônia.

“Minha maneira de compor é muito visceral. Eu preciso sentir o que os personagens sentem, seja medo, raiva, alegria… passar pelo o que eu passei, com certeza, me aproximou deles”, afirma o músico.

Andréia Horta em Colônia, série exibida pelo Canal Brasil e disponível no Globoplay
Acidente

Era madrugada do dia 18 de setembro de 2020, quando Patrick de Jongh decidiu sair de São Paulo a Brasília, depois de um mês na capital paulista trabalhando no longa Por que Você Não Chora?, de Cibele Amaral. O filme havia sido selecionado para o festival de Gramado, e o produtor queria assistir a estreia ao lado da família, então antecipou a viagem de volta. “Por conta da pandemia, preferi vir de carro para manter distanciamento social”, lembra.

Metrópoles