Como curta brasileiro de 2016 antecipou cenas de Spielberg seis anos antes de 'Fabelmans'

Irmãos paulistas fizeram curta em homenagem a Spielberg e receberam mensagem com elogio dele. Em 2022, diretor lançou longa autobiográfico ‘Os Fabelmans’, com cenas parecidas com o curta. Curta de cineastas brasileiros tem cenas parecidas com “Os Fabelmans”, de Spielberg
“Dava uns arrepios. Um cutucava o outro o tempo todo.” Os irmãos brasileiros Stefano e Filippo Lapietra se impressionaram com “Os Fabelmans”. No filme indicado em sete categorias do Oscar, o diretor Steven Spielberg recria sua própria infância.
g1 já viu: Spielberg volta à própria infância e faz seu melhor filme em quase 20 anos
Os Lapietra são fãs de Spielberg, mas os arrepios tinham outra razão: o filme, lançado em 2022, tem cenas parecidas com as de um curta que a dupla fez em homenagem ao cineasta americano em 2016.
Os irmãos contam no vídeo acima como o curta de 2016 antecipa parte do filme de Spielberg, de 2022.
“Na cena de abertura, o plano dele é idêntico ao nosso”, diz Steffano. “A cena de transição do crescimento do personagem, em que ele levanta a mãozinha, também”, completa Filippo.
Os dois filmes mostram como Spielberg virou cineasta. Os brasileiros queriam homenagear o ídolo. O americano tinha motivação autobiográfica: contar a história dele e de sua família no cinema.
“A história é dele”, Filippo deixa claro. Mesmo assim, é notável a semelhança de ideias e enquadramentos, como os detalhes de um embrulho de trenzinho rasgado, uma tábua que simula explosões e uma câmera que desce de um projetor de filme ao rosto do Spielberg criança.
No mínimo, as repetições mostram que os brasileiros foram cuidadosos na pesquisa para recriar a infância de Spielberg, baseada em livros e entrevistas do próprio diretor. “A gente curtiu estar alinhado com ele, nos sentimos muito bem”, diz Filippo.
Além disso, não é impossível que Spielberg tenha se inspirado no curta em algum desses detalhes. Os irmãos receberam uma mensagem encaminhada com elogios de Spielberg ao curta em 2019. “Ficamos pensando: será que ele se inspirou em alguma coisa?”, diz Steffano.
A coincidência é apenas em uma pequena parte inicial de “Os Fabelmans”, que segue contando a história do Spielberg adolescente e da relação entre os pais.
À esquerda, cenas do curta dos brasileiros de 2016, e, à direita, ‘Os Fabelmans’, de 2022. Acima, um movimento de câmera idêntico, de um projetor de filme para a cara da criança assistindo ao filme ‘O maior espetáculo da Terra’. Abaixo, o detalhe de um truque que Speilberg usava para simular explosões em seus filmes caseiros de guerra, usando uma tábua pisada pelos atores
Reprodução
Os Lapietra e ‘Os Fabelmans’
Os irmãos paulistanos estudaram cinema na Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) e formaram uma dupla nos bastidores: Filippo Lapietra, 33 anos, na direção e Steffano, 35, na produção.
Um dos primeiros trabalhos, o curta “The House Job”, de 2014, foi premiado no festival independente inglês Raindance. Parte do prêmio era uma verba de mil libras (R$ 6500) para fazer a vinheta de abertura da edição seguinte.
O pedido aos brasileiros era “um filme que transmita a sensação de inspirar”, conta Filippo. “Nossa maior inspiração para virar cineasta foi o Spielberg. Eu falei: vou fazer uma história de como o Spielberg se inspirou e como ele inspirou mais pessoas.”
Pesquisa para ‘arrepiar’
Os dois foram atrás de livros e vídeos. “Foi muita pesquisa. Eu até sonhava com ele. Via tanta coisa… entrevista, making of, o pai dele contando como o filho fazia. Vi todo os extras dos DVDs”, diz Filippo.
No curta de 30 segundos, o ator mirim que interpreta Spielberg vê “O maior espetáculo da Terra”, de Cecil B. DeMille, com os olhos arregalados. Ele se impressiona com a imagem de um acidente e a recria com um trenzinho de brinquedo e uma câmera caseira.
O filme dos brasileiros também mostra o pequeno Spielberg fazendo seus primeiros filminhos de faroeste e de guerra. Todos os detalhes são baseados em relatos do diretor em livros e vídeos.
O filme foi exibido no Raindance Film Festival de 2016 e premiado no Young Festival Award, mostra paralela ao festival de Cannes, na França.
À esquerda, cenas do curta dos brasileiros de 2016, e, à direita, ‘Os Fabelmans’, de 2022. Acima, o espanto do pequeno Spielberg no cinema. Abaixo, os dois ganham um trem de brinquedo após assistirem ao filme de Cecil B. DeMille. Na vida real de Spielberg, ele só filma o trem anos depois, mas nos dois filmes a sequência é quase imediata
Reprodução
Mensagem encaminhada
Depois disso, eles fizeram um curso com o fotógrafo Dan Mindel, parceiro do diretor J.J. Abrams (de “Super 8”). Os irmãos exibiram o curta ao professor e perguntaram se ele poderia mostrar a Abrams, amigo de Spielberg, que poderia repassar ao alvo final.
No dia 6 de janeiro de 2019, o fotógrafo encaminhou para Filippo o recado: “Essa deve ser a homenagem mais doce que eu já vi! Obrigado aos alunos de Mindel. Eles entenderam certo. Quanto maiores os nossos sonhos, mais podemos esperar alcançar.”
“A emoção foi como de ganhar o Oscar”, diz Steffano sobre a mensagem de Spielberg encaminhada por Abrams e Mindel. Eles fizeram um quadro com o e-mail.
“Quando saiu o trailer de ‘Fabelmans’, eu falei: agora todo mundo vai falar que a gente copiou”, brinca Filippo. “Ainda bem que tem a data que a gente fez, em 2016”, diz Steffano.
Spielberg já comentava em entrevistas sobre filmar a história de sua família desde 1999. Mas o roteiro de “Os Fabelmans” foi escrito no final de 2020, e o longa foi filmado em 2021.
Licença poética repetida
Filippo aponta um detalhe que pode passar batido até para quem viu “Os Fabelmans”. Na história real, Spielberg levou anos entre ver a batida de “O maior espetáculo da Terra” e fazer seu filminho do trem.
Mas, “para caber na história”, os brasileiros já mostram o menino ganhando o trenzinho e filmando logo depois de ver o filme. É a mesma adaptação feita por Spielberg no longa, diz Filippo, orgulhoso.
Os dois se descrevem ao assistir “Os Fabelmans” quase como crianças, assim o personagem mirim dos filmes: “Toda vez meu irmão me cutucava. E voava pipoca.”

Fonte: https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2023/01/25/como-curta-brasileiro-de-2016-antecipou-cenas-de-spielberg-seis-anos-antes-de-fabelmans.ghtml