Chega ao BELAS ARTES À LA CARTE a 11ª. edição do “My French Film Festival”

Festival será totalmente gratuito para assinantes ou não assinantes da plataforma

O MyFrenchFilmFestival está de volta com 29 filmes: longas e curtas-metragens, bem como obras de realidade virtual, legendadas em 10 idiomas e disponíveis em todo o mundo, de 15 de janeiro a 15 de fevereiro de 2021. O Festival, que é totalmente gratuito, tem o BELAS ARTES À LA CARTE como uma das plataformas que recebe o festival em 2021, no Brasil.
A seleção de 2021 organiza-se em torno de temáticas representativas da diversidade e da vitalidade do cinema francófono: Forever Young, caminhos de iniciação na juventude e a transição da adolescência para a idade adulta. Crazy Loving Families: Notas de humor, ternura e situações familiares complicadas. True Heroines: Através de retratos impressionantes, explosivos e singulares, esta seção celebra figuras de mulheres e meninas, únicas mestras de seus próprios destinos. French Ghost Stories oferece uma coletânea de várias histórias de fantasmas «à la française». On the Road evoca as migrações de mulheres e homens para o cinema, fugindo de conflitos internacionais. Com Love is love, descubra um documentário e três curtas-metragens que questionam o amor sob todos os ângulos. Com Kids Corner, você poderá partilhar o seu amor pelo cinema francês com os mais jovens dos seus entes queridos graças a um programa de animação juvenil sem palavras. New Horizons convida você a descobrir novas formas de imagens, escritos e experimentações do cinema francês.
Veja os filmes que estarão em exibição no BELAS ARTES À LA CARTE:
ADOLESCENTES (Adolescentes)

2019 | 2 h 15 min | Dir.: Sébastien Lifshitz

Em um documentário magistral e universal que lembra Boyhood, o diretor pinta o retrato de um período de cinco anos de duas amigas em Brive-La-Gaillarde e nos faz mergulhar no mundo de uma juventude rural na França dos anos 2010.

Sinopse: Emma e Anaïs são inseparáveis e, no entanto, tudo as opõe. Adolescentes segue o percurso delas desde os 13 anos até à maioridade. Cinco anos de vida onde chocam-se transformações radicais e primeiras experiências. Aos 18 anos de ambas, pode-se perguntar que tipo de mulheres se tornarão e como evoluirá a amizade das duas.

ENORME (Énorme)

2020 | 1h 41min | Dir: Sophie Letourneur

Quinto longa da diretora Sophie Letourneur, esta comédia ficou no top ten do ano de 2020, da conceituada revista Cahiers du Cinéma. A história é sobre Claire, uma pianista casada que viaja pelo mundo. Ela e seu marido, Fréderic, decidiram não ter filhos. Até que eles assistem a um parto feito às pressas durante um voo, e isso faz com que mudem de ideia. A protagonista é a ótima Marina Foïs, cinco vezes indicada ao prêmio César, o Oscar do cinema francês, presente em dois deliciosos filmes disponíveis no À La Carte: “Relacionamento à Francesa” e “Um Amor em Paris”.

Sinopse: Isso acontece de repente aos 40 anos: Frédéric quer um bebê, mas Claire nunca quis e eles estavam de acordo quanto a isso. Ele comete o imperdoável e faz um filho com outra. Claire fica enorme e Frédéric torna-se frouxo.

FELICIDADE (Felicità)

2019 | 1h 22min | Dir.: Bruno Merle

Segundo longa de Bruno Merle. Nesta comédia, Tim e Chloé são um jovem casal que vive a felicidade nas coisas simples do dia a dia. Mas já é o último dia do verão e a filha adolescente deles está entrando no ensino médio. Eles então prometem à garota que não irão perder os últimos momentos desta incrível estação. “Felicità” venceu o prêmio de Melhor Filme no Mons International Festival of Love Films, na Bélgica, um festival que, como o nome sugere, é dedicado ao cinema romântico, com ênfase em filmes de amor. O longa tem no papel de Tim, o pai, Pio Marmaï, um dos mais requisitados jovens atores do cinema francês, presente em vários filmes de sucesso, como “Um Amor em Paris”, disponível no À La Carte.

Sinopse: Para Tim e Chloé, a felicidade está no dia a dia sem compromissos. Mas um dia o verão acaba. A filha deles, Tommy, entra no colégio e nesse ano ela promete não perder esse grande acontecimento. Isso foi antes que Chloé desaparecesse, que Tim roubasse um carro e que um cosmonauta aparecesse na história.

CRIANÇAS (Just Kids)

2019 | 1h 44min | Dir.: Christophe Blanc

Quarto longa de Christophe Blanc, o mesmo de “Uma mulher extrovertida”, filme de 2000, estrelado por Agnès Jaoui. Na história deste seu novo longa, Jack, Lisa e Mathis, são três jovens de 19, 17 e 10 anos, respectivamente. Eles se tornam órfãos subitamente, e cada um reage à sua maneira a essa catástrofe familiar. Kacey Mottet Klein, o mais velho do trio de protagonistas, é o mesmo ator que interpreta o neto de Catherine Deneuve em “Adeus à Noite”, outro ótimo filme disponível no À La Carte.

Sinopse: Jack, com 19 anos, Lisa, com 17 anos, e Mathis, com 10 anos, tornam-se brutalmente órfãos. Cada um reage à sua maneira ao desastre familiar. Lisa se afasta e Jack, há pouco tempo maior de idade, fica com a guarda de Mathis. Uma nova vida começa. Mas como alguém pode ser responsável por uma criança, quando mal saiu da adolescência? E como construir um futuro, quando o passado se torna uma obsessão perigosa? A força e a energia da juventude podem fazer milagres…

CAMILLE (Camille)

2019 | 1h 30min | Dir.: Boris Lojkine

Filme dirigido por Boris Lojkine, conta a história de Camille Lepage, uma fotojornalista francesa que foi morta aos 26 anos, em 2014, na República Centro-Africana. Selecionado para o Festival de Locarno e indicado ao prêmio César de Melhor Atriz, o filme é protagonizado por Nina Meurisse, que atuou em diversos filmes conhecidos no Brasil, entre eles “Esperando Acordada”, comédia que você encontra no À La Carte.

Sinopse: Uma jovem fotojornalista apaixonada pelo seu ideal, Camille vai à República Centro-Africana para cobrir uma guerra civil prestes a acontecer. Muito rapidamente, ela se apaixona pelo país e pela sua juventude envolvida na turbulência. De agora em diante, ela viverá o seu destino nesse país.

KUESSIPAN (Kuessipan)

2020 | 1h 57min | Dir.: Myriam Verreault

Selecionado para o Festival de Toronto, este é o primeiro longa de Myriam Verreault. A história é sobre duas meninas que cresceram como melhores amigas em uma comunidade Innu, no Canadá, e prometeram ficar juntas de qualquer jeito. Mas a amizade entre as garotas indígenas é abalada quando uma delas se apaixona por um garoto branco. A bilheteria deste longa, com atores não profissionais em sua maioria, chegou a ultrapassar a de “Coringa” em um fim de semana, num cinema de Quebec.

Sinopse: No seu primeiro longa-metragem naturalista, a diretora dirige atores não profissionais da comunidade innu e dá voz a uma juventude nascida no cativeiro que começa a questionar a sua liberdade.

DONAS DE ALEGRIA (Filles de joie)

2019 | 1h 30min | Dir: Frédéric Fonteyne e Anne Paulicevich

Dirigido a quatro mãos, por Frédéric Fonteyne e Anne Paulicevich. Há 20 anos, Frédéric Fonteyne fez enorme sucesso com “Uma Relação Pornográfica”, dirigido por ele em carreira solo, um romance super caliente, quase todo passado entre quatro paredes, estrelado por Nathalie Baye e Sergi López. Anne Paulicevich, mais conhecida por seu trabalho como atriz, é estreante na direção. Este filme é sobre três mulheres profissionais do sexo, que todos os dias cruzam a fronteira da França para a Bélgica para praticar seu ofício. No final de um verão particularmente quente, as três compartilham um segredo que as unirá para sempre. Duas das protagonistas são Sara Forestier, que tem papel marcante em “O Amor é Um Crime Perfeito”, presente no À La Carte, e Noémie Lvovsky, atriz de “France Boutique”, “Um Belo Verão” e “Os Dois Filhos de Joseph”, que você também encontra no À La Carte.

Sinopse: Donas de alegria conta três histórias de mulheres durante um verão escaldante entre o norte da França e a Bélgica. Axelle, Conso e Dominique nada têm em comum a não ser que são colegas e que, todos os dias, juntas, cruzam a fronteira.

PRATA VIVA (Vif-argent)

2019 | 1 h46min | Dir.: Stéphane Batut

Primeiro longa de Stéphane Batut como diretor. Até agora, a mais extensa experiência de Stéphane no cinema foi como diretor de elenco, função que ele desempenhou em mais de 60 filmes, entre eles “Pintar ou Fazer Amor”, disponível no À La Carte. “Prata Viva” tem uma trama do outro mundo, literalmente. Nas ruas de Paris, Juste é um jovem que coleta as últimas memórias de pessoas que só ele pode ver, antes de ajudá-las na vida após a morte. Ele é um fantasma. Mas um dia uma garota chamada Agathe o reconhece. Ela o conheceu quando ele estava vivo. Este é o primeiro longa do ator protagonista Thimotée Robart, enquanto Judith Chemla, que interpreta Agathe, é uma jovem atriz com mais de 40 filmes no currículo, incluindo o papel principal em “Minha Lua de Mel Polonesa”, comédia presente no À La Carte.

Sinopse: Juste perambula por Paris em busca de pessoas que só ele pode ver. Ele recolhe a última lembrança delas antes de levá-las para o outro mundo. Um dia, uma jovem, Agathe, o reconhece. Ela está viva, ele é um fantasma. Como poderão eles se amar e aproveitar essa segunda oportunidade?

ORFEU (Orfeu)

1950 | 1h35 min | Dir: Jean Cocteau

Grande clássico de Jean Cocteau, lançado em 1950, conta a história de Orfeu, um poeta que se apaixona perdidamente por uma Princesa, a personificação da Morte. Tomada pelo ciúme, a Princesa das trevas arquiteta a morte de Eurídice, a menosprezada esposa de Orfeu. Para se juntar às duas, ele então decide descer ao inferno, onde ambas ficam presas. No papel-título, o filme tem Jean Marais, ator fetiche de Jean Cocteau, presente em várias obras do diretor, entre eles “Águia de Duas Cabeças”, disponível no À La Carte. A Princesa má, por sua vez, foi vivida pela femme fatale María Casares, do clássico “As Damas do Bois de Boulogne”, que também está no À La Carte.

Sinopse: Orfeu é a transposição de Jean Cocteau do famoso mito para o mundo moderno. Poeta reconhecido de Saint-Germain-des-Prés, Orfeu é enfeitiçado por uma princesa enigmática que nada mais é do que a Morte. Por ela, ele abandona a sua mulher, Eurídice. Mas a Princesa, percebendo a impossibilidade desse amor, devolve Orfeu à Eurídice.

A VIDA DOS MORTOS (La vie des morts)

1990 | 52 min | Dir.: Arnaud Desplechin

Longa de 1991, marcou a estreia de Arnaud Desplechin na direção, ele que já teve sete filmes selecionados para concorrer à Palma de Ouro no Festival de Cannes. A história do filme gira em torno de uma grande família, traumatizada por mortes trágicas, que se reúne para esperar notícias sobre um de seus primos que está no hospital após uma tentativa de suicídio.

Sinopse: Há 30 anos, Arnaud Desplechin realizou A Vida dos Mortos, uma obra «coral» íntima, entre a vida e a morte, perturbadora e desconcertante: o nascimento de uma nova geração de atores e cineastas.

HERÓIS NUNCA MORREM (Les héros ne meurent jamais)

2019 | 1h 25min | Dir.: Aude Léa Rapin

Indicado ao prêmio Caméra d’Or no Festival de Cannes, este é o primeiro longa dirigido por Aude Léa Rapin. Na história, Joachim, o protagonista, é abordado por um homem que acredita que ele seja a reencarnação de um soldado bósnio. Segundo o desconhecido, Joachim teria nascido no mesmo dia da morte do soldado. Intrigado, Joachim viaja para Sarajevo com duas amigas para descobrir sua vida passada. Jonathan Couzinié, que interpreta Joachim, é coautor do roteiro.

Sinopse: Esta road trip ímpar na rota dos Bálcãs, entre fantasia e realismo, o primeiro longa-metragem da diretora, apresenta Adèle Haenel ao lado de Jonathan Couzinié em uma busca de verdade e de identidade que é, ao mesmo tempo, divertida e comovente.

JOSEP (Josep)

2020 | 1h 14min | Dir.: Aurel

Primeiro longa do ilustrador Aurel, esta incrível animação venceu como Melhor Filme (Prêmio do Público) no Festival de Atenas, e participou da seleção Novos Diretores na Mostra Internacional de Cinema de SP 2020. A história acompanha um guarda moribundo relembrando seu encontro com o artista catalão Josep Bartolí, em um campo de concentração francês, após a Guerra Civil Espanhola. O personagem Josep foi dublado por Sergi López, premiadíssimo ator espanhol com longa carreira no cinema francês, onde protagonizou sucessos como “Pintar ou Fazer Amor”, presente no À La Carte.

Sinopse: Fevereiro de 1939. Diante da enxurrada de republicanos fugindo da ditadura de Franco, o governo francês decide colocá-los em campos. Dois homens separados por arame farpado se tornarão amigos. Um é policial, o outro é desenhista. De Barcelona a Nova York, a verdadeira história de Josep Bartolí, combatente anti-Franco e artista excepcional.

SENHORA (Madame)

2019 l 93min l Dir.; Stéphane Riethauser

Em um filme com imagens de arquivos da família, o diretor evoca com sensibilidade como ele e a sua avó tiveram que lutar, apesar da defasagem de duas gerações, contra os mesmos padrões patriarcais da sociedade conservadora suíça.

Sinopse: Avó e neto trocam confidências em um diálogo íntimo que explora gênero, sexualidade e transmissão de identidade.

Completam a programação os curtas abaixo:
Intervalo (Entracte)

2019 | 16 min 22 segundos l Dir.: Anthony Lemaitre

Com humor, Anthony Lemaitre imagina em Intervalo o feliz e fortuito encontro de um jovem com a sua cinefilia.

Um adeus (Un adieu)

2019 | 24 min 16 segundos l Dir.: Mathilde Profit

Um carro percorre as costas francesas. Dentro, um pai conduz a filha a Paris para começar a sua vida de estudante, uma nova vida em uma cidade desconhecida, longe da sua infância e longe dele. Essa viagem em face a face é a primeira e talvez a última. Nada parece excepcional, mas os dois sabem que terão que se dizer adeus.

Belezas (Beauty Boys)

2020 | 17 min 50 segundos l Di.: Florent Gouëlou

Aos 17 anos, em seu pequeno vilarejo, Léo e seus amigos apaixonam-se por maquiagem. Essa paixão não é do gosto de Jules, o irmão mais velho de Léo, que teme ser alvo de chacota em seu grupo de amigos. Na noite do palco aberto do vilarejo, indo contra a opinião do irmão, Léo sobe ao palco vestido de drag queen.

Família nuclear (Famille nucléaire)

2020 | 19 min l Dir.: Faustine Crespy

Jules, aos 18 anos, passa férias a contragosto no camping nudista de sua infância. Ele está dividido entre a sua atração pelo belo Karim, um trabalhador sazonal na praia das pessoas «vestidas», e a depressão da sua mãe Adèle, que se recusa a deixá-lo crescer.

O Mundo de Dalia (Le Monde de Dalia)

2019 | 3 min 18 segundos l Dir.: Javier Navarro Avilés

A pequena Dalia descobre a estufa tropical de seu pai. Depois de tirar algumas fotos, ela percebe que perdeu o pai de vista. À medida que ela avança, Dalia chega a um espaço aberto, uma verdadeira floresta tropical aparece diante dela.

Sole Mio (Sole Mio)

2019 | 22 min 48 segundos lDir.: Maxime Roy

Daniel tenta lidar da melhor maneira possível com o desespero da mãe que permanece sem notícias do seu pai. Quando este último volta para casa na véspera de sua operação para se tornar mulher, Lisa, ele tem que forçar o pai a finalmente dizer a verdade.

Menina azuis, Pálido de Medo (Filles bleues, peur blanche)

2019 | 9 min 53 segundos l Dir.: Lola Halifa-Legrand e Marie Jacotey

Marie Jacotey e Lola Halifa-Legrand assinam uma primeira comédia dramática que questiona as fantasias dos nossos medos nas relações de casais: um filme de animação feminista e contundente, composto por magníficas ilustrações a lápis de cor.

*Apropriado para todas as idades com advertência

Silêncio (Motus)

2020 | 17 min 44 segundos l Dir. Elodie Wallace;

Alice se perde no labirinto de um hospital, movida pela urgência de acertar contas com o seu ex-agressor, prestes a morrer. Uma corrida para finalmente verbalizar os seus males.

Lugares Vazios (Empty Places)

2020 | 8 min 28 segundos l Dir.: de Geoffroy de Crécy; “Clebs”, documentário de Halima Ouardiri;

Geoffroy de Crécy imagina um mundo hipnótico onde, em supermercados, aeroportos, escritórios, boates, desapareceram todos os vestígios humanos.Produzido antes do confinamento global, Lugares Vazios é uma ode à melancolia das máquinas.

Cães (Clebs)

2019 | 18 min l Dir.: Halima Ouardiri

Documentário com fotografia espetacular, Cães nos mostra o cotidiano de 750 animais recolhidos em um canil no Marrocos e propõe ao espectador uma reflexão sobre a monotonia da vida dessa comunidade no cativeiro em um contexto de crise migratória.

Friend of a Friend

2019 | 13 min 32 segundos l Dir.: Zachary Zezima (Animação)

Um jovem é agredido sexualmente. Ele sequestra, pune e depois torna-se amigo do próprio agressor. Ele se confronta ao seu passado e aos seus impulsos sexuais ambíguos. Entre ficção, autoficção e sonho, Amigo de um Amigo abre o debate sobre os maus tratos, suas motivações e implicações.

Miss Chazelles

2019 | 20 min 53 segundos l Dir.: Thomas Vernay

Clara e Marie são rivais. Clara é a segunda colocada, enquanto que Marie ganha o famoso prêmio Miss Chazelles-sur-Lyon. À medida que aumenta a tensão entre os amigos de Clara e a família de Marie no vilarejo, as duas jovens parecem ter um relacionamento ambíguo.

Um Lince na Cidade (Un lynx dans la ville)

2019 | 7 min 10 segundos l Dir.: Nina Bisyarina;

Um curioso lince deixa a floresta, atraído pelas luzes da cidade vizinha. Ele se diverte muito lá e se adormece no meio de um estacionamento. De manhã cedo, os habitantes surpresos encontram esse estranho animal coberto de neve.

Maestro

2019 | 1 min 49 segundos l Dir.: Illogic

No meio de uma floresta, um grupo de animais selvagens se lança em uma ópera noturna liderada por um esquilo.

o28

2019 | 5 min 9 segundos l Dir.: Otalia Caussé, Geoffroy Collin, Louise Grardel, Antoine Marchand, Robin Merle e Fabien Meyran (animação)

Em Lisboa, um casal de turistas alemães está prestes a embarcar no lendário bonde elétrico nº 28, mas como reagir quando os freios não funcionam e se embarca numa viagem vertiginosa com um bebê a bordo?

O Show do Maternal (Le Spectacle de maternelle)

2019 | 8 min 3 segundos l Dir.: Loïc Bruyère

Em um teatro, a professora coruja tenta apresentar o show do maternal de fim de ano. Infelizmente para ela, o espetáculo não acontecerá como previsto, pois peripécias ocorrerão, antes mesmo que a cortina possa se abrir.