Polícia encontra pano ensanguentado e diz que Lázaro pode estar ferido

Ao que tudo indica, o maníaco foi baleado em outro confronto com a coalizão formada para capturá-lo

O assassino em série que aterroriza o Distrito Federal e o Entorno há nove dias pode estar ferido. Segundo o secretário de Segurança de Goiás, Rodney Miranda, antes de uma intensa troca de tiros entre Lázaro Barbosa de Sousa, 32, e policiais, na tarde desta quinta-feira (17/6), cães farejadores encontraram um pano ensanguentado.

Ao que tudo indica, o maníaco foi baleado em outro confronto com a coalizão formada para capturá-lo e, desde então, tenta estancar o sangue com torniquete improvisado.

“Esse torniquete e esse pano foram encontrados pelos cães. Por isso achamos que ele está amarrando o ferimento, que deve estar sangrando”, disse.

O homem, descrito pelas autoridades como extremamente perigoso, foi visto na cidade de Girassol (GO), próximo à casa do pai dele, enquanto se escondia embaixo de um cobertor. Testemunhas relataram que o maníaco estava com uma mochila, mancava e simulava ser um mendigo. Quando avistou a polícia, Lázaro teria corrido para um córrego perto de onde foi visto.

“Vim deixar uma colega minha do lado da casa do pai do Lázaro e fui ver o que estava acontecendo. Vimos o suspeito dentro de uma casa, agachado. Ele desceu para o córrego. Houve mais de 30 tiros. Disparos de metralhadora”, relatou o vigilante Alexandre Augusto, que estava no local.

Segundo ele, Lázaro estava com um cobertor nas costas, cobrindo uma mochila. “Ele estava até mancando”, disse à reportagem.

A força-tarefa que caça Lázaro Barbosa trocou tiros com o maníaco na tarde desta quinta-feira (17/6), após ele ter fugido das proximidades da casa do pai. Dezenas de policiais civis e militares, além de viaturas e três helicópteros estão mobilizados na operação.

Chacina

As digitais de Lázaro foram encontradas na casa da família Vidal. Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, teriam sido mortos por ele a tiro e facadas. O crime ocorreu na madrugada do dia 9/6, no Incra 9, em Ceilândia.

Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43 anos, esposa de Cláudio e mãe das outras vítimas. O corpo dela foi encontrado no dia 12, em um matagal. O cadáver estava sem roupa e com um corte nas nádegas, em uma zona de mata perto da BR-070.

Fonte: Metrópoles – Foto: Arthur Menescal