Operação Fake SMS: Empresário Carlos Alexandre sofre busca e apreensão da PF em dois endereços

A Polícia Federal realizou operações de busca e apreensão na empresa Mobile Web Tecnologias e Sistemas Ltda, com nome de fantasia Mobi-Mark, e no endereço pertencente ao empresário Carlos Alexandre Pontes Neves, em face da Operação Fake SMS, que apura a contratação do serviço de disparo automático de mensagens pelo WhatsApp para fins eleitorais.

O governo do estado também está sendo investigado no âmbito da Coordenadoria de Comunicação Social. Foi instaurado inquérito policial coordenado pelo delegado Leonardo Portela Leite no início do mês de setembro deste ano. A medida foi adotada após representação protocolada em 16 de junho de 2020, junto ao TRE-PI (Regional Eleitoral do Piauí, denunciando o disparo de mensagens em massa, via aplicativo WhatsApp, ocorrido em campanhas eleitorais anteriores, e que a mesma prática já estava em pleno funcionamento nestas eleições de 2020.

Fizemos vídeo no canal Toni Rodrigues Além da Notícia alertando para a situação. Veja abaixo:

Na apuração da Polícia Federal verificou-se que a empresa Mobi-Mark recebeu do Governo doEstado, entre os anos de 2010 a 2018, R$ 11.899.226,94 em prestações de serviços para diversos órgãos da administraçãoestadual. Conforme a assessoria da PF, o contrato entre governo e empresa é comprovado. Falta confirmar agora se houve, no contrato, determinação para disparos em massa.

No tocante à Secretaria de Estado da Educação constatou-se contrato no valor total de R$ 7.120.446,00. O primeiro foi firmado a 15 de junho de 2015, no valor de R$ 1.790.400,00, através do procedimento de inexigibilidade de licitação, que tinha comoobjetivo a manutenção de sistema integrado para combate à evasão escolar e ao bullying nas escolas da redeestadual de ensino, através da tecnologia móbile celular.

O segundo contrato foi assinado um ano depois, em 21 de setembro de 2016, no valor de R$ 5.330.046,00, com o mesmo objetivo de realizar manutenção de sistema.

Na manhã de sexta, durante o cumprimento do mandado de busca na empresa Mobi-Mark, localizada na Rua Senador Arêa Leão, bairro Jóquei Clube, zona leste de Teresina, os policiais federais apreenderam computadores, HDs e uma grande quantidade de aparelhos celulares que serão periciados e anexados ao inquérito policial.

A Polícia Federal foi também até o apartamento de um dos dois sócios da empresa Mobi-Mark, Carlos Alexandre, onde foram apreendidos mais materiais que devem corroborar com a investigação que apura possível prática de crime eleitoral. Toni Rodrigues

Coronavírus em Tempo Real