Em desfile sobre povo negro, Tom Maior homenageia Marielle Franco | VEJA

Os desfiles das escolas de samba do Grupo Especial de São Paulo tomam nesta sexta-feira, 21, o Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte de São Paulo. A previsão é de chuva e temperaturas amenas, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da prefeitura. Sete escolas vão para a avenida nesta primeira noite, entre elas, a atual campeã Mancha Verde e a vice, Dragões da Real.

A primeira escola a entrar foi a Barroca Zona Sul, que voltou ao Grupo Especial após 15 anos. A escola recontou a história de Tereza de Benguela, líder do quilombo do Quariterêre. Destaque ficou para o carro abre-alas, que tinha 36 metros de comprimento e fazia um tributo a Angola. A agremiação encerrou no limite dos 65 minutos permitidos e precisou correr para não estourar o tempo e ser punida.

Carro Barroca Zona Sul Carro da Barroca Zona Sul, escola que abriu o Grupo Especial do Carnaval 2020 de SP //Divulgação

Também dentro do limite permitido, a Tom Maior encerrou o seu desfile com o carro que tinha como destaque um boneco de Marielle Franco, assassinada em março de 2018, e que pedia por justiça para todos com a frase “as minorias são a maioria”. O enredo “É coisa de preto” homenageou o povo negro e levou para a avenida, entre outras coisas, uma encenação de ação policial violenta contra a população negra. A escola também exaltou personalidades negras, como Elza Soares, Mano Brown, Machado de Assis e outros em seu colorido desfile.

Confira a ordem dos desfiles

Publicidade

A primeira agremiação a entrar na avenida foi a Barroca Zona Sul, vice-campeã do Grupo de Acesso em 2019. Com o enredo “Benguela… A Barroca clama a ti, Tereza!”, sobre Tereza de Benguela, líder quilombola, a escola iniciou sua apresentação por volta das 23h15.

Na sequência, à 0h20, a Tom Maior entra em cena com o enredo “É coisa de preto”, em homenagem aos negros. Logo depois, à 1h25, será a vez da Dragões da Real, segunda colocada em 2019 e uma das favoritas este ano. O enredo será “A Revolução do Riso: A arte de subverter o mundo pelo divino poder da alegria”.

Atual campeã e com alto investimento para buscar o bi, a Mancha Verde desfila a partir das 2h30, com o enredo “Pai!, Perdoai, eles não sabem o que fazem!”, que homenageia Jesus. À frente da bateria pelo 16º ano seguido, brilhará Viviane Araújo.

  • Relacionadas
  • Mais Lidas

Entretenimentoimagem22-02-2020-05-02-47EntretenimentoFantasiada de abelha, Anitta “milita” no carnaval de SalvadorEntretenimentoimagem22-02-2020-05-02-48EntretenimentoCantando Madonna, Claudia Leitte “voa” sobre o carnaval de Salvador

  • Entretenimentoimagem22-02-2020-05-02-48Entretenimento1BBB 20: Público pede expulsão de participante após polêmica em festaBrasilimagem22-02-2020-05-02-48Brasil2Namorado de Gugu Liberato entra na briga pela herançaEntretenimentoimagem22-02-2020-05-02-51Entretenimento3Silvia Abravanel pede demissão do SBT e pega Silvio Santos de surpresaEntretenimentoimagem22-02-2020-05-02-51Entretenimento4Como Manu Gavassi levou Chay Suede para dentro do BBB e expôs a Globo

    Às 3h35, será a vez da Acadêmicos do Tatuapé ir para a avenida, com o enredo que falará sobre a cidade de Atibaia, no interior de São Paulo: “O ponteio da viola encanta… Sou fruto da terra, raiz desse chão… Canto Atibaia do meu coração”.

    Publicidade

    A penúltima escola da noite será a Império de Casa Verde, que levará ao Anhembi o enredo “Marhaba Lubnãn” e irá homenagear o Líbano. Por fim, às 5h45, a X-9 Paulistana encerra a primeira noite do carnaval paulistano com o enredo “Batuques para um rei coroado”, que vai fazer uma viagem cultural pelo Brasil.

    Fonte: veja.abril.com.br/entretenimento/carnaval-sp-2020-sambodromo-anhemni

    Coronavírus em Tempo Real