Crimes eleitorais: operação levou 34 à prisão e apreendeu R$ 3 mi

PF/Divulgação

Valores foram detectados desde o início da campanha, em 15 de agosto; as prisões ocorreram desde a última segunda (26/9)

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, e o secretário de Operações Integradas (Seopi) da pasta, Alfredo Souza Lima Coelho Carrijo, afirmaram que, desde o início da campanha eleitoral, mais de R$ 3 milhões provenientes de crimes eleitorais, incluindo suspeita de compra de voto, foram apreendidos no país. Também foram presas 34 pessoas. O chefe da pasta garantiu eleições seguras e lembrou: “Não estamos indo para uma guerra”.

A informação foi confirmada em entrevista coletiva neste sábado (1º/10), véspera da votação em todo o país. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu aproximadamente R$ 1 milhão somente nesta semana. Já a Polícia Federal (PF) flagrou e recolheu outros R$ 2 milhões desde 15 de agosto.

Na sexta-feira (30/9), por exemplo, a PF encontrou cerca de R$ 145 mil em dinheiro vivo, dentro de uma mala que pertencia ao presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, Marcelo Victor (MDB). Depois de uma denúncia de compra de voto, o parlamentar e um assessor dele foram abordados pelos policiais, em um hotel em Maceió, a capital do estado.

“No momento da abordagem, foi apreendida com o grupo uma bolsa contendo cerca de R$ 145 mil, além de listas com nomes de pessoas e santinhos. Um dos assessores evadiu-se do local, levando uma mala consigo. Não houve prisão. No entanto, foi instaurado inquérito policial para apurar possível prática de crime de compra de votos”, diz a nota da corporação.

Durante a última semana de campanha, as forças de segurança comandadas pelo Ministério da Justiça apreenderam mais de R$ 396 mil em 20 operações, todas relacionadas a crimes eleitorais. Foram 14 casos na Região Norte, cinco casos no Nordeste e uma ocorrência no Centro-Oeste.

Com o início da Operação Eleições no dia 26 de setembro, 34 pessoas acabaram presas por suspeita de terem cometido crimes eleitorais. O monitoramento é feito pelo Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), coordenado pela pasta.

Eleições seguras

Torres e Carrijo destacaram que, neste momento, as operações do ministério e dos órgãos ligados à pasta visam oferecer apoio aos eleitores e à logística. “No domingo, teremos eleições seguras. Podem votar de forma segura”, afirmou o ministro.

A fala remete às preocupações com a violência política em meio à polarização entre os principais candidatos, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL).

O ministro foi questionado sobre as preocupações quanto a possíveis animosidades e atos de violência, após o resultado do primeiro turno. “Não vejo alteração nenhuma para o final, independentemente do resultado”, minimizou Torres. “Lei continua sendo lei, crime continua sendo crime”, acrescentou.

Esta é a primeira vez que a pasta coordena uma operação para as eleições – neste caso, por meio do Seopi. Em números, serão mais de 500 mil agentes de segurança em ação no domingo (entre servidores da PF, PRF e PM) e 70 mil viaturas.

Fonte: https://www.metropoles.com/brasil/eleicoes-2022/crimes-eleitorais-operacao-levou-34-a-prisao-e-apreendeu-r-3-mi