Corpo de João Beto, espancado até a morte, é enterrado neste sábado

A polícia investiga o caso. Os dois seguranças do Carrefour, onde houve o crime, foram presos em flagrante

Após uma noite de protestos e confrontos entre manifestantes e policiais, dois carros da Guarda Municipal e da Brigada Militar estão próximos ao local onde João Beto será enterrado. O sepultamento está previsto para às 11h.

Na cerimônia, foi lido lido um trecho bíblico. A mulher dele, Milena Borges Alves, ficou ao lado do caixão. Familiares da vítima evitaram conversar com a imprensa.

Beto foi espancado até a morte na última quinta-feira, véspera do Dia da Consciência Negra. Um dos agressores era segurança no local e o outro um policial militar temporário. Os dois foram presos em flagrante.

A polícia ainda investiga o caso. De acordo com a delegada Roberta Betoldo, que conduz os trabalhos, a causa mais provável da morte foi por asfixia, uma vez que a vítima foi imobilizada pelos seguranças e teve o corpo pressionado contra o chão.

Metrópoles

Coronavírus em Tempo Real