Com ocupação em SP, 40 famílias se protegem do frio e da fome

São Paulo – Durante a última semana, 40 famílias trabalhadoras de imigrantes e migrantes organizadas pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas ocuparam um prédio abandonado localizado na Praça Carlos Gomes, 104, no bairro da Liberdade, centro de São Paulo. O imóvel abandonado há mais de três anos, descumpria a lei de função social e oferecia risco aos moradores da região.

As famílias informaram que a “Ocupação Dom Paulo Evaristo Arns” foi realizada como única forma de garantirem uma moradia digna e se protegerem contra as baixas temperaturas e contra a violência e o descaso do Estado.

Para as famílias que ocuparam o prédio, a luta por moradia foi a maneira que encontraram para não se somarem às 31,8 mil famílias que vivem em situação de rua em São Paulo. O déficit habitacional no país atinge atualmente 8 milhões de famílias.

Desde as primeiras horas, os ocupantes estão recebendo doações e o apoio dos movimentos de moradia do centro, entidades, religiosos e moradores da região.

O espaço, que está sendo limpo e organizado pelas famílias, estava em péssimas condições. Os moradores estão organizando uma cozinha coletiva, que servirá quatro refeições diárias aos moradores.

Segundo Marileide, 43 anos, desempregada e moradora da ocupação, “lá fora todo dia a gente acorda com fome e com medo. Mas a partir de hoje, aqui na nossa Ocupação, além de ter um teto para chamar de nosso ninguém aqui vai passar fome ou frio”.

Leia também: Moradia, saúde e alimentação: para onde poderia ir o dinheiro gasto por Bolsonaro no cartão corporativo

Além da cozinha, já é possível ver a montagem da creche coletiva, para que as mais de 40 crianças da Ocupação possam ter um espaço seguro com atividades de lazer, educação e descanso e para que as mães possam se somar no mutirão de limpeza e revitalização do espaço.

A Ocupação Dom Paulo Evaristo Arns homenageia um grande líder social e religioso. Nascido em 1921, em Forquilhinha (SC), Dom Paulo foi um árduo defensor dos direitos humanos no Brasil, à frente da resistência popular contra a ditadura militar que assolou no país por 21 anos, com atuação especial na denúncia das torturas promovidas por esse regime a partir de 1964.

Com informações do jornal A Verdade

Fonte: www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2022/08/com-ocupacao-no-centro-de-sao-paulo-40-familias-se-protegem-do-frio-e-da-fome