Cinco assuntos para começar seu dia

Os Estados Unidos se tornaram epicentro do novo coronavírus, que já atingiu meio milhão de pessoas pelo mundo, o crescimento da epidemia fora de São Paulo, os filhos e o vice como sombra do presidente Jair Bolsonaro, a construção de Hospitais de campanha durante a crise sanitária e a aprovação do auxílio mensal para trabalhadores informais. Esses são os cinco principais assuntos para você começar o seu dia bem-informado.

ESTADOS UNIDOS, O NOVO EPICENTRO

O número de infectados pelo novo coronavírus no mundo ultrapassou a marca de meio milhão. São ao menos 537 mil pessoas contaminadas até esta sexta-feira, 27, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkings. A China, país com maior número de casos confirmados desde o início da epidemia, foi ultrapassada pelos Estados Unidos, que somam quase 86 mil pessoas contaminadas, a maioria delas no estado de Nova York, e se tornaram o novo epicentro da Covid-19. Ainda assim, a China decidiu por fechar as fronteiras do país à entrada de estrangeiros para conter o avanço da doença. Já nos EUA, o presidente Donald Trump enviou cartas à população com recomendações para o combate da doença, entre elas, a de ficar em casa e evitar contato com idosos. Com o aumento no número de testes realizados, a tendência é que os EUA sigam no topo da lista dos países mais infectados nos próximos dias.

EPIDEMIA AVANÇA PELO BRASIL

Continua após a publicidade

A epidemia do novo coronavírus que já matou 77 pessoas e contaminou outras 2.915 no Brasil se expande de forma acelerada pelo país um mês após o primeiro diagnóstico. São Paulo, que chegou a concentrar 90% dos casos, hoje tem 35%, afirmou o médico e secretário de Saúde do estado, José Henrique Germann. Ele alertou também para o fato de como as medidas restritivas adotadas pelo estado contribuíram para a redução da disseminação do coronavírus, apesar de os casos ainda serem muitos. Tendo em vista o rápido avanço da doença em todo território nacional, o Ministério da Saúde prevê que o mês de abril será “muito difícil” e pede que a população siga com o isolamento social, principalmente aqueles que pertencem ao grupo de risco. Em VEJA, você tira as principais dúvidas e tem dicas de como se prevenir.

AS SOMBRAS DO PRESIDENTE

Com o presidente Jair Bolsonaro isolado politicamente em meio à crise do coronavírus, seus filhos decidiram ir para cima daqueles considerados inimigos do pai. Nas redes sociais, o senador Flávio Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro e o vereador Carlos Bolsonaro atacaram governadores e imprensa, de forma coordenada, por causa das medidas de restrição adotadas para tentar conter a disseminação da doença. Depois de ficar longe dos holofotes por muito tempo, o vice-presidente Hamilton Mourão voltou à cena ao contrariar Bolsonaro e dizer que a posição do governo para combater o coronavírus é uma só: “o isolamento e o distanciamento social”. Antes, o vice havia demonstrado descontentamento com as críticas do presidente ao governador João Doria, feitas durante videoconferência com mandatários estaduais. Bolsonaro, por sua vez, fez questão de dizer “o presidente sou eu”, após ser questionado sobre as declarações do vice. Resta saber, porém, quais serão as posturas dos filhos e do vice nos próximos dias, tendo em vista o aumento de casos e mortes causados pela doença no país, o isolamento do presidente e as ações dos governadores.

HOSPITAIS DE CAMPANHA

Continua após a publicidade

Com o intuito de desafogar Hospitais e UTIs municipais, a cidade de São Paulo vai ganhar 2.000 leitos para o atendimento de pacientes com o novo coronavírus. No Estádio do Pacaembu, o Hospital de campanha que terá 200 quartos deve ficar pronto em até dez dias. Maior, o Hospital erguido no Centro de Exposições do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista, terá 1.800 leitos e a previsão é que ele seja inaugurado no dia 6 de abril. As estruturas custaram 35 milhões de reais na montagem e vão receber aproximadamente 2.550 profissionais de saúde. Inclusive, a prefeitura abriu 260 vagas para trabalhar por 90 dias em uma das unidades. Como em São Paulo, o Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, será transformado em Hospital de campanha. A estrutura deve ficar pronta em no máximo 15 dias, de acordo com o governador Wilson Witzel. Serão construídos ainda outras três estruturas na capital fluminense: no Parque dos Atletas, no antigo aeroclube e em São Gonçalo. As unidades devem receber 900 leitos para atender pacientes do coronavírus.

RENDA BÁSICA

Após acordo costurado entre Executivo e Legislativo, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto que prevê o pagamento de 600 reais mensais para trabalhadores informais cuja renda fora afetada pela pandemia de coronavírus, a chamada renda básica universal. Para a mulher mãe e chefe de família, o auxílio pode passar para 1.200 reais. O presidente Jair Bolsonaro confirmou que o valor havia sido triplicado durante transmissão nas redes sociais. O texto agora segue para votação no Senado, que deve acontecer o mais rápido possível.

Fonte: veja.abril.com.br/brasil/cinco-assuntos-para-comecar-seu-dia-9