Bolsonaristas expõem nas redes ódio e preconceito contra os nordestinos

Após o resultado do primeiro turno das eleições presidenciais, em que Jair Bolsonaro (PL) foi para o segundo turno atrás de Lula (PT), bolsonaristas destilaram o discurso de ódio contra a região Nordeste, responsável por 38% dos votos do petista – de cerca de 57,2 milhões de eleitores.

Lula foi o mais votado em todos os nove estados do Nordeste, confirmando seu favoritismo na região. Isso fez com que parte dos bolsonaristas brasileiros se irritassem e colocassem o ódio contra o povo nordestino pra fora.

A apuração começou com Bolsonaro à frente de Lula, mas o quadro logo mudou quando as urnas dos estados nordestinos passaram a ser apuradas com maior velocidade.

Em live de comemoração do candidato ao governo do Rio Grande do Sul Onyx Lorenzoni (PL-RS), que vai ao segundo turno com Eduardo Leite (PSDB), apoiadores teceram comentários ofensivos.

“O nordestino merece seca”, escreveu um. “Nordeste sempre ferrando o Brasil”, escreveu outro.

Além da live, os ataques de ódio aconteceram em toda a web. No Twitter, o termo “Nordeste” ficou entre os assuntos mais comentados da plataforma e divide opiniões: a esquerda exalta o estado pela votação no ex-presidente Lula (PT) e os apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) publicam mensagens xenófobas. “O Bolsonaro tem que concretar o rio São Francisco pros nordestinos voltarem a ficar sem água”, escreveu um internauta.

Nesta quarta-feira, ficou conhecido vídeo em que a vice-presidente da OAB de Uberlândia, Flávia Moraes, afirma que não irá mais para o Nordeste para não alimentar “esse povo que vive de migalha”.

Nos grupos de Telegram, a xenofobia contra nordestinos também foi deflagrada. 

Numa da imagem divulgada em um grupo de apoiadores do presidente, e compartilhada pelo bolsonarista travestido de comentarista Rodrigo Constantino, o Nordeste aparece como “Cuba do Sul”, em referência ao país caribenho alvo recorrente de Bolsonaro.

Nas trocas de mensagens, fica explícito o ódio aos moradores da região.

“Nordeste não mais faz parte de nenhum outro roteiro de viagens futuras que eu deseje fazer. Minha prioridade vai ser para locais onde desejam um Brasil melhor”, diz uma das mensagens, de Wagner Silva B-22.

“Na minha opinião, os nordestinos gostam é mesmo de sofrer”, emenda Celso Tavares, com emoji de raiva.

Esta não é a primeira vez em que os nordestinos são alvos de críticas nas redes durante uma apuração presidencial. Em 2018, eles foram atacados nas redes pelo resultado do primeiro turno. Xingamentos e pedidos para que os estados daquela região do país fossem separados do Brasil ficaram entre os assuntos mais comentados na web na noite em que ficou definido o segundo turno entre Fernando Haddad (PT) e o atual presidente.

RESPEITEM O NORDESTE

Apesar da xenofobia bolsonarista em peso nas redes, também houve muito apoio ao povo nordestino, gratos pela região por ter colocado Lula à frente de Bolsonaro.

Personalidades que representam a região como Gil do Vigor, Juliette e Whindersson, rebateram alguns comentários de ódio e reforçaram a necessidade de denunciar esse crime.

A situação revoltou a campeã do BBB21 Juliette Freire, que é natural de Campina Grande (PB). Ela comentou sobre o assunto em seu Twitter. “E os ataques xenofóbicos só continuam. Excelente oportunidade para refletir o quanto isso ainda é forte na nossa sociedade.”, escreveu.

Gil do Vigor, que também é ex-participante do reality da Globo, nasceu em Jabotão dos Guararapes (PE), e saiu em defesa do Nordeste: “Em termos de política, nós precisamos colocar a cabeça no lugar, se conscientizar, respeitar o outro. Isso é democracia. Posso ter o meu pensamento e eu quero ser respeitado por ele, então preciso também respeitar o outro”, começou o economista.

Em seguida, Gil exigiu respeito. “Uma coisa que não se pode tolerar é a xenofobia (…) Estou vendo uma galera sendo xenofóbica com o pessoal do Nordeste, o meu Nordeste, e que defendo sim. O nosso Nordeste precisa de respeito”, disse.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Gil ressaltou que conhece diversos nordestinos inteligentes, como é o seu caso, altamente capacitados para dialogar e discutir inúmeros assuntos. “O nordestino é capaz, é potente e tem conhecimento, sim”, afirmou.

O humorista Whindersson Nunes também usou as redes sociais para responder e rebater um internauta que fez críticas ao Nordeste, lugar onde o comediante nasceu e cresceu, após a apuração dos votos das eleições no domingo.

Veja mais reações:

O post Bolsonaristas expõem nas redes ódio e preconceito contra os nordestinos apareceu primeiro em Hora do Povo.

Fonte: https://horadopovo.com.br/bolsonaristas-expoem-nas-redes-seu-odio-e-preconceito-contra-os-nordestinos/