Turismo

Ministro do Turismo: Amazônia é a próxima Torre Eiffel

PANROTAS / JGCA

Ministro do Turismo Celso Sabino entre o embaixador na Espanha, Orlando Leite Ribeiro, e Pedro Henrique Lopes Borio, cônsul geral em Barcelona

Esta semana, o Ministério do Turismo participa da IBTM Barcelona, feira de negócios de Turismo na Espanha. Na ocasião, o ministro Celso Sabino conversou com o Portal PANROTAS e explicou planos da pasta, destacou potencial turístico da Amazônia, esforços para trazer cada vez mais turistas internacionais e a realização de grandes eventos indutores da indústria, como o Salão Nacional do Turismo em dezembro deste ano e a COP 30, a ser realizada em Belém do Pará em 2025.

Confira abaixo a conversa completa com o ministro do Turismo Celso Sabino.

PORTAL PANROTAS – O senhor imprimiu outro ritmo no Ministério do Turismo desde que assumiu. O quanto o trade pode se animar com continuidade? Você fica? Vai fazer uma carreira política? Fica até o final do mandato?

MINISTRO CELSO SABINO – Na conversa que tivemos com o presidente da República (Lula), na ocasião do convite para assumir o Ministério do Turismo, ele foi enfático em demonstrar o seu entusiasmo e a sua vontade, e de toda a equipe do Governo, em fazer com que o nosso País tenha no setor do Turismo o que países como a República Dominica, o México, a Espanha têm no Turismo. Temos algumas ilhas de muito sucesso no Brasil, como é o caso de Gramado (RS), Foz do Iguaçu (PR) e Bonito (MS). O que precisamos é fazer com que essas ilhas de muito sucesso repercutam em todo o País, fazendo com que outros polos de Turismo surjam no Brasil, e nós posamos ter atrativos turísticos de grande visitação.

O presidente está muito animado, quer fazer com que o Turismo no Brasil seja realmente uma mola propulsora da economia, gerando empregos, e ele tem nos dado total apoio para que isso aconteça. O presidente Lula sempre apoiou o Turismo, criou o Ministério do Turismo, criou o Salão do Turismo lá atrás, que estamos retomando agora em dezembro.

PANROTAS – Aliás, como está o Salão do Turismo? Tem novidades dele? Faltam poucos dias, não é? Quem está confirmado?

SABINO – Temos quase uma centena de delegações internacionais que confirmaram presença no Salão do Turismo, até porque marcamos a inauguração do escritório da OMT no mesmo dia da inauguração do Salão do Turismo. Então, no dia 15 de dezembro pela manhã, faremos a abertura do escritório da OMT no Rio de Janeiro e no final da tarde a abertura do Salão do Turismo com a presença confirmada do presidente da República. Essa abertura do escritório também tem sido um motivador para a vinda dessas delegações internacionais ao Brasil, porque elas são membros da OMT.

A OMT que fará uma reunião no sábado, dia 16, dentro do Salão Nacional do Turismo com os membros que estiverem presentes. Além disso, nós vamos fazer ali a entrega do Prêmio Nacional do Turismo, premiação com várias categorias de pessoas relevantes para o setor. O Fornatur está sendo um grande parceiro nosso, os secretários compraram a ideia e estão mobilizando suas equipes para estarem em Brasília nesse período. Estará também a Anseditur. Promoveremos também o Festival Brasil com alguns shows artísticos nacionais no período da noite para mobilizarem as pessoas a estarem no Salão.

Estamos caprichando muito, queremos fazer a retomada desse Salão em um momento de grande importância para o Turismo brasileiro. Todos nós do Ministério do Turismo estamos empenhados em fazer um grande Salão do Turismo para marcar a retomada deste evento, assim como o início de uma longa caravana que estamos apreendendo para fazer com que o Brasil seja um grande destino turístico mundial, grande recebedor de turistas, e possamos em breve passar a marca de dois digítos (de milhões) no número de turistas internacionais, e também fazer com que o número de turistas nacionais aumentem dentro do País.

Um desafio grande que nós temos é o aéreo. Estamos investindo em conectividade aérea, entendemos que precisamos e vamos aumentar a conexão aérea, mas os voos internacionais que temos no Brasil, infelizmente, estão servindo mais para levar o brasileiro para fora do que para trazer o estrangeiro para o Brasil.

Muitos voos vão e voltam do estrangeiro lotados de brasileiros. Os números não mostram que, para cada um estrangeiro que viaja para o Brasil, temos dois brasileiros viajando internacionalmente. Para cada dólar que o estrangeiro gasta no Brasil, os brasileiros gastam dois dólares no internacional. Indentificamos isso, estamos investindo muito na promoção internacional, divulgação do nosso País, buscando parcerias de operadoras turísticas internacionais. Junto com a Embratur, estaremos trazendo esses operadores para o Salão do Turismo. Nosso objetivo é inverter esse dado, fazendo com que os voos internacionais para o Brasil sejam mais ocupados por estrangeiros do que por brasileiros.

PANROTAS – Com o alinhamento entre o Ministério do Turismo e Embratur, a promoção turística do Brasil assertiva é uma necessidade há um tempo.

SABINO – As pessoas já podem observar como está sendo a nossa exposição em feiras internacionais de forma uniforme com estande muito atrativo com apresentação da culinária, de elementos artísticos. Os Estados que tem interesse, e participam, ficam ao redor do estande do Brasil. Na Fit Argentina, por exemplo, tínhamos um tapete verde que indicava ao visitante que estava adentrando no espaço do Brasil.

E temos, realmente, um diálogo muito próximo com a Embratur. Falo quase todo o dia com o presidente Marcelo Freixo, temos uma relação de amizade, fomos deputados federais juntos. Então, temos nos ajudado bastante.

PANROTAS – Só o fato de o senhor ministro estar aqui na IBTM Barcelona já mostra isso, que é uma feira de negócios da qual a Embratur tradicionalmente participa.

SABINO – Temos aqui a intenção de melhorar ainda mais a nossa participação em feiras internacionais. Estou aqui ladeado do nosso amigo e embaixador do Brasil, Orlando Leite Ribeiro. Estamos aqui na Espanha, veio a Barcelona para nos acompanhar nessa comitiva, participar da IBTM. Também teremos a Fitur, em Madri, e estamos organizando com a Embratur, com a participação do embaixador, que foi o idealizador desse projeto, de fazermos um grande guarda-chuva brasileiro, no qual o centro será a Marca Brasil, e embaixo desse guarda-chuva teremos os Estados que terão interesse em participar. Então, estamos promovendo o diálogo com a Embratur e Estados com interesse em participar das feiras para termos cada vez mais uniformidade e unidade na demonstração do Brasil para o público estrangeiro nesses grandes eventos.

PANROTAS – Aparantemente, teremos a COP 30 em 2025 no seu Estado (Pará). Como está esse projeto? Sei que muito precisa ser feito em termos de infraestrutura e hotelaria.

SABINO – Será a melhor COP da história da ONU. Vamos falar sobre a Amazônia e a proteção do meio ambiente dentro do Amazônia, na sua porta de entrada. Não há lugar mais oportuno para tratar o tema do que dentro da própria Amazônia.

E Belém tem a capacidade de mobilizar mais de dois milhões de pessoas em cada procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré. Esse ano, nós recebemos na cidade de Belém mais de 80 mil turistas de outros Estados e países. É mais ou menos do que esperamos durante a COP. É claro que os Governos do Estado e Federal estão conversando para melhorar ainda mais a infraestrutura, com mais leitos, reforma em nossos portos para receber navios transatlânticos e iates de luxo que virão de delgações. Existe também a possibilidade de aluguel de casa de luxo em condomínios fechadso em Belém para receber comitivas presidenciais e chefes de Estado de outros países.

Então, não tenho dúvida de que será a melhor COP da história. A COP que vai entregar as melhores propostas para combater as mudanças climáticas, as melhores alternativas para a transição energética, a proteção do meio ambiente e, também, deixar um grande legado para a região amazônica e para a cidade de Belém. Além de nos ajudar muito no Turismo, porque as pessoas perceberão que a Amazônia pode e será um grande destino de ecoturismo sustentável. A revista Forbes reconheceu o Brasil como o principal destino de ecoturismo do mundo, à frente do México, do Canadá e da Austrália; e agora através desse conjunto de esforços que o Governo tem feito, vamos fixar o entendimento de que a melhro forma de preservar o meio ambiente, manter a floresta em pé, preservar as nascentes dos rios, é através da exploração econômica sustentável do ecoturismo na região.

PANROTAS – Será no seu mandato que veremos o número de turistas internacionais superar os 6,5 milhões?

SABINO – Esse ano, já vamos ultrapassar os seis milhões. Em 2024, não tenho dúvida de que quebraremos esse recorde. Aliás, não me resta dúvidas de que nosso próximo ano vamos romper todos os recordes, tanto de viagens internas quanto de turistas internacionais. E no Brasil, temos aeroportos que não perdem para os grandes aeroportos do mundo. Recife, Fortaleza, São Paulo. Temos infraestrutura aeroportuária, temos atrativos turísticos que estão bem localizados, próximos de aeroportos. Nós temos atrativos turísticos com segurança total, grandes empreendimentos hoteleiros, grandes pousadas de luxo. Então, não tenho dúvidas de que o Brasil é a bola da vez e vamos atrair muitos turistas para cá.

Agosto e setembro foram os melhores meses da história do Turismo do Brasil. Nem com Olimpíada ou Copa do Mundo, tivemos tantos turistas estrangeiros no Brasil. Em outubro, já ultrapassamos a marca de outubro de 2019. Então, as expectativas são excelentes. Temos ajudado muito a disposição do Governo e do presidente Lula em fortalecer o Turismo. E também o ponto crucial de que o Brasil é livre de grandes conflitos bélicos, livre de grandes catástrofes climáticas, e que tem um povo muito hospitaleiro.

Além disso, a participação do presidente Lula em grandes eventos, sendo reconhecido por um grande líder global tem fortalecido muito.

PANROTAS – Como está a agenda de investimentos? Você sente que a iniciativa privada está animada em investir no Brasil?

SABINO – Gosto de pensar assim: hoje, nós temos um aparelho turístico que é um dos mais visitados no mundo, que é a Torre Eiffel. Você imagina quando o prefeito de Paris contratou o arquiteto e engenheiro Eiffel, começou seu projeto e construção. No entorno, não tinham hotéis, restaurantes, bares. Mas tiveram pessoas que acreditaram, compraram terrenos ao redor para construir um hotel ou restaurante nas margens ali da Torre Eiffel. Ou o cara que pensou em colocar o elevador e explorar esse serviço e vender um ingresso. Imagina quem acreditou nisso lá atrás.

Então, o Brasil e, sobretudo a Amazônia, nesse momento que o mundo fala sobre a preservação do meio ambiente, temos um grande potencial. Nós temos a maior biodiversidade do planeta. Não há outro lugar do mundo que tenha mais espécies animais e vegetais do que a Amazônia. Então, gosto de pensar dessa forma. A nossa Amazônia explorada economicamente de forma sustentável com estabelecimentos que tenham o tratamento dos resíduos, fontes de energia alternativa e renovável, promova o desenvolvimento das pessoas que moram ali. Ou seja, que as pessoas que morem em torno da Amazônia ganhem dinheiro, ganhem desenvolvimento econômico e social com a preservação da floresta, porque a floresta em pé vai atrair mais turistas.

O Brasil e nossa Amazônia é a próxima Torre Eiffel. Então, aquele que acreditar e montar aqui seu hotel, vai ter retorno futuro maior do que aquele que acreditou na Torre Eiffel.

Estamos falando do bioma amazônico, que representa cerca de 50% do território brasileiro. Toda a União Europeia cabe dentro desse espaço. Estamos falando de uma área muito grande e inexplorada.

Fonte: https://www.panrotas.com.br/100xbrasil/politica/2023/11/ministro-do-turismo-celso-sabino-diz-que-amazonia-e-a-proxima-torre-eiffel_201516.html