O que realmente importa: paciente renal se casa em hospital de Cubatão (SP) – ViDA & Ação

Diante das dificuldades da vida, a empregada doméstica Joanita da Silva Bispo, de 36 anos, que há 18 vive com Erivaldo Manuel da Silva e os três filhos em um bairro carente de Cubatão (SP), foi deixando de lado seu grande desejo: uma cerimônia de casamento. Esta semana, às vésperas do Dia dos Namorados e do Dia de Santo Antônio, mais conhecido como “santo casamenteiro”, o desejo de Joanita foi realizado.

Com a ajuda do Hospital de Cubatão, Joanita – que é paciente renal crônica e faz hemodiálise três vezes por semana no local – se casou com o companheiro em uma emocionante cerimônia na Unidade de Hemodiálise (Centro de Terapia Renal Substitutiva) que fica em um prédio anexo ao hospital.

Restrito a poucos familiares, incluindo os três filhos do casal, o casamento foi celebrado pelo pastor da igreja da noiva e contou com todo o cerimonial que o momento exige: alianças, vestido de noiva, bolo, decoração, testemunhas, padrinhos e madrinhas bem trajados, dama e pajem e noivo impecável. Todos os detalhes da cerimônia foram organizados e doados pelo Hospital de Cubatão.

O sonho de Joanita foi realizado graças ao projeto O que Importa para você?, que realiza desejos de pacientes dos hospitais da Fundação São Francisco Xavier – braço social da Usiminas nas áreas da saúde e educação, ao qual o Hospital de Cubatão é ligado. Em momentos tão difíceis e desesperançosos, pacientes internados em cinco unidades receberam um pouco de alegria e conforto nesta última quarta-feira (9), Dia do Que Importa para Você.

A ação de humanização é realizada desde agosto de 2020, simultaneamente, em cinco hospitais: quatro em Minas Gerais e um em São Paulo (o de Cubatão). Os desejos atendidos nesta edição envolviam desde a degustação do prato preferido e um dia de beleza até a visita de um parente que mora distante e – o mais inusitado – a cerimônia de casamento. Tudo preparado com carinho e dedicação pelas equipes de colaboradores dos hospitais, que não mediram esforços para realizar os desejos dos pacientes.

Para o paciente Francisco Ramos, do Hospital e Maternidade Vital Brazil (HMVB), em Timóteo (MG), o desejo era rever a esposa que mora na Paraíba, onde o casal reside. Internado há mais de 70 dias por conta de um acidente de carro, Ramos estava sofrendo com saudades da amada. A equipe do hospital se mobilizou para promover esse encontro especial.

Quem também foi surpreendido com uma visita especial foi Gilson Leandro Ferreira, internado no HMVB há quase 50 dias. Quando questionado sobre o seu desejo, Gilson disse que gostaria de receber uma mensagem da sua família. O que ele não imaginava era que receberia algo ainda melhor. Além dos depoimentos, Gilson recebeu a visita do seu filho.

Receber a benção ou participar de um momento de oração pode ser reconfortante em um momento de dificuldade. E esse era o desejo de dois pacientes que ficaram internados mais de 20 dias na Unidade de Terapia Intensiva para tratamento de Covid-19 do Hospital Municipal Carlos Chagas, em Itabira (MG).

Desde que deixaram a UTI, Celina Elizete Mendonça e José Maciel estavam ansiosos por um momento de oração. Celina recebeu a benção especial de um pastor e José, além de ser abençoado por um padre, recebeu a surpresa do coral de uma igreja católica de Itabira.

Já a paciente Maria Pereira de Lima não pensou duas vezes e escolheu ter um dia de rainha. Afinal, depois de quase 30 dias internada no Hospital e Maternidade Vital Brazil, a paciente sentia a necessidade dos cuidados com a beleza. Ela aproveitou a ação para fazer escova nos cabelos, maquiagem e sobrancelha, antes de receber alta.

A equipe do Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga (MG), também identificou os desejos, com base no que realmente importa para os pacientes internados. E as solicitações foram atendidas, proporcionando um momento de distração em meio à rotina hospitalar. Internado no HMC há quase 40 dias, Mauro Lúcio da Costa tinha um o simples desejo de degustar um prato especial: o tradicional frango com quiabo e angu.

As mães dos recém-nascidos internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do HMC pediram para que os avós, que tanto amam e babam pelos netinhos, pudessem visitar os bebês internados, uma vez que essas visitas estão suspensas por conta da pandemia. A equipe do hospital organizou e planejou tudo com a segurança necessária e muito carinho para 14 avós.

O Arthur veio para mudar a minha história, e em toda vídeo-chamada é impossível não chorar. Hoje, essa visita presencial foi o melhor presente que eu pude ganhar, não tenho palavras para explicar como foi especial e diferenciado poder vê-lo assim, tão pertinho, sem telas. É uma sensação única que não vou esquecer”, disse Raquel de Oliveira Viana Costa, avó do Arthur Gabriel, que está internado no HMC há mais de três meses.

Mas teve também desejos coletivos, compartilhados com outros pacientes ou funcionários dos hospitais. Raiany Araújo dos Santos, paciente da Unidade de Oncologia do HMC, pediu que, em sua última semana de tratamento, pudesse compartilhar e apoiar as mulheres em tratamento, falando sobre a importância da autoestima e cuidado, por meio da palestra “Se ame em todas as suas versões”.

Filipe Iego Gomes, paciente do Centro de Terapia Renal Substitutiva há mais de 20 anos, desejou um momento especial para agradecer a toda a equipe que fez e faz parte do seu tratamento e rotina para hemodiálise.

O projeto “O que Importa para Você?” surgiu nos Estados Unidos e, desde agosto do ano passado, vem sendo realizado em as todas as unidades hospitalares da Fundação São Francisco Xavier. O projeto busca realizar desejos de pacientes internados e promover momentos de alegria, conforto, alívio e distração em meio à rotina de um hospital.

A iniciativa tem o propósito de estimular conversas mais significativas entre profissionais de saúde e pacientes, criando um elo de compaixão e empatia entre eles. Todos os pedidos foram avaliados e realizados após análise do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar quanto às normas para garantir segurança e não afetar a continuidade do tratamento de todos os pacientes.

Foi um dia muito especial não só para os pacientes, mas para todas as equipes dos hospitais envolvidas neste projeto. É muito reconfortante promover essa ação de humanização. Os desejos podem ser os mais simples, mas são cheios de significado e representam muito para quem está no dia a dia hospitalar”, comenta o diretor de hospitais da Fundação, Mauro Oscar Soares de Souza Lima.

Fonte: www.vidaeacao.com.br/paciente-renal-se-casa-em-hospital