O que a criogenia promete – e o que ela (não) está entregando | Blog Longevidade: modo de usar

É bom deixar claro que não chegamos a este ponto: hoje em dia, é possível a criogenia de células, tecidos e alguns órgãos – como os embriões congelados que dão origem a bebês muito queridos – mas não de mamíferos ou seres humanos, porque a parte da “reanimação” ainda não funciona. Outro equívoco comum é acharmos que se trata de congelamento. “Na verdade, cristais de gelo destroem o tecido. A bioestase utiliza um processo chamado vitrificação para atingir um estado que se assemelha ao vidro, interrompendo a degradação do organismo, que assim pode ser mantido indefinidamente”, afirma Kendziorra.

Fonte: https://g1.globo.com/bemestar/blog/longevidade-modo-de-usar/post/2022/11/20/o-que-a-criogenia-promete-e-o-que-ela-nao-esta-entregando.ghtml