Coloque todas as vacinas do seu filho em dia num só dia – ViDA & Ação

Imagine colocar em dia todas as vacinas necessárias para o pleno desenvolvimento do seu filho em apenas um dia, ainda mais em tempos de Covid-19, em que precisamos reforçar o sistema imunológico de nossas crianças e adolescentes? Pois esta oportunidade está sendo dada este mês inteiro nos postos de vacinação de todo o país e neste sábado (18 de outubro), ocorre o Dia D da Campanha Nacional de Multivacinação e contra a Poliomielite.

Uma novidade é a vacina contra a meningite ACWY, que até pouco tempo era dada somente na rede particular para crianças de 11 e 12 anos. Ao todo, são 14 vacinas para crianças e reforço de dose em mais 8 vacinas para os adolescentes. Crianças de zero a 15 anos devem ser levadas aos postos. Todas as 18 vacinas dos calendários de imunização da criança e do adolescente estão sendo oferecidas durante a campanha.

Uma novidade é a vacina contra a meningite ACWY, que até pouco tempo era dada somente na rede particular para crianças de 11 e 12 anos. Em conjunto, também é oferecida imunização contra o sarampo para todos da faixa etária entre 6 meses e 59 anos.

No Estado do Rio, cerca de 1.500 unidades de saúde estarão abertas para atualizar a caderneta de vacinação de crianças e adolescentes. A campanha é uma ação conjunta entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES), o Ministério da Saúde e as Secretarias Municipais de Saúde. Ao todo, foram mobilizados cerca de 11 mil profissionais nos 92 municípios do Estado do Rio.

O Dia D tem o objetivo de ampliar o chamamento à população para proporcionar uma maior adesão. A medida tem como objetivo evitar a exposição desnecessária da população à Covid-19, aproveitando a ida do responsável pelas crianças à unidade de saúde para atualizar a própria situação vacinal. As vacinas serão aplicadas nos postos municipais de Saúde da capital e do interior.

Valter Almeida, gerente de Imunização da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS), ressalta a importância da campanha de vacinação e do Dia D neste sábado. “O fim de semana é quando os pais e responsáveis encontram, geralmente, mais facilidade de ir às unidades de saúde, porque não estão envolvidos com suas rotinas profissionais. O sábado, então, é quando a gente faz um chamamento ainda maior para a população”.

Somente na cidade do Rio, a Secretaria Municipal de Saúde informou que todas as 237 unidades da rede de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde funcionarão, das 8h às 17h, além de 33 postos extras, entre eles três na modalidade drive-thru, montados em diversos pontos da cidade vão vacinar a população. Farmácias parceiras também vão realizar exclusivamente a vacinação contra o sarampo para a faixa de 15 a 49 anos.

O Dia D deve ser visto como um compromisso de toda a família. Precisamos proteger nossos bebês, crianças e jovens contra doenças graves como a paralisia infantil, o sarampo, a meningite, a febre amarela, entre outras”, afirma Beatriz Busch, secretária municipal de Saúde.

A adesão das famílias cariocas permanece muito baixa. Até 14 de outubro foram aplicadas 21.098 doses da vacina contra a poliomielite, o que representa 7% da meta de cobertura vacinal no município. Para a multivacinação e atualização da caderneta vacinal, até o dia 14 de outubro, compareceram às unidades de saúde do município 57.045 pessoas, das quais 42.750 foram imunizadas.

No total, foram aplicadas 68.089 doses das diversas vacinas oferecidas, sendo 57.472 doses em crianças de zero a 6 anos; e 10.617 doses na faixa de 7 a 14 anos. Já contra o sarampo, desde 5 de outubro foram vacinadas 6.279 pessoas com idade entre 15 e 49 anos. Para aumentar o alcance da campanha, a Secretaria Municipal de Saúde está oferecendo a vacina do sarampo em farmácias parceiras até 30 de outubro, além de continuar vacinando nos postos municipais.

Para a infectologista Patrícia Guttmann, coordenadora de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, proteger nossas famílias é uma responsabilidade compartilhada entre o poder público e a população. “Nossos bebês, crianças e jovens só estarão protegidos se tomarem as vacinas. E não podemos esquecer que o Rio de Janeiro vive um surto de sarampo, uma doença grave que pode levar à morte. Os adultos também precisam se vacinar”, alerta.

Todas as vacinas presentes nos calendários da criança e do adolescente são parte da campanha. Devem receber a vacina contra a poliomielite – a famosa gotinha – todas as crianças com idade até cinco anos, mesmo que já tenham as doses de rotina contra a doença.

No calendário da criança, que inclui a imunização de crianças até 10 anos de idade, são 14 vacinas no total. São elas: BCG, Hepatite B, Penta (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e poliomielite), Pólio inativada, Pólio oral, Rotavírus, Pneumo 10, Meningo C, Febre Amarela, Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), Tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), DTP (tríplice bacteriana), Hepatite A e Varicela.

No calendário do adolescente há mais vacinas, além de reforços das imunizações feitas na infância. São elas: Hepatite B, Febre Amarela, Tríplice viral, Difteria e tétano adulto, DTPa, Meningocócica ACWY, HPV quadrivalente e Varicela.

Acompanhe os canais de comunicação da prefeitura do seu município para se certificar dos locais e documentos necessários. Não deixe de levar a caderneta de vacinação. No Rio, os endereços dos postos extras de vacinação do Dia D estão disponíveis no site da SMS, no link https://bit.ly/3lIwe14.  Mais informações sobre o Programa de Imunização no link.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, Francieli Fontana, participou, na última terça-feira (13), da live #PapoSaúde, transmitida pelas redes sociais da pasta. O objetivo foi reforçar a importância de manter a caderneta de vacinação atualizada e esclarecer dúvidas sobre as vacinas.

As principais dúvidas dos internautas foram sobre as campanhas em andamento no país. São elas: a campanha contra poliomielite para crianças de 1 a 5 anos; a de multivacinação, para colocar em dia as vacinas para quem tem até 15 anos; e a de sarampo, para adultos de 20 a 49 anos de idade.

Perguntas sobre os protocolos de segurança contra o coronavírus nos postos de vacinação, o público-alvo de cada uma das campanhas atuais e a importância de possuir e atualizar a caderneta individual de vacinação também foram direcionadas à especialista. Veja algumas perguntas abaixo:

Quem perdeu a caderneta de vacinação pode se vacinar mesmo assim?

Quem não tiver a caderneta de vacinação pode procurar o local onde foi vacinado para que a equipe tente localizar o histórico. No entanto, não ter a caderneta não é impeditivo para tomar as vacinas ofertadas pelas campanhas. Os profissionais das salas de vacinas do país avaliarão a situação de cada indivíduo e verificarão quais vacinas serão necessárias.

Pode tomar diferentes vacinas no mesmo dia?

Os profissionais de saúde estão preparados para receber e orientar a população. Não é preciso ficar receoso a respeito de tomar uma ou mais vacinas no mesmo dia. Isso porque hoje, no calendário vacinal disponível, muitas vacinas são combinadas, ou seja, feitas ao mesmo tempo para reduzir o número de injeções e otimizar a ida das pessoas ao serviço de vacinação. O profissional de saúde nos postos está orientado quanto aos esquemas vacinais e os devidos intervalos.

Qual será o protocolo de segurança durante o período da pandemia?

O Ministério da Saúde tem divulgado as medidas para a vacinação segura, a exemplo do distanciamento social. A Secretaria de Saúde de cada estado e do Distrito Federal está ciente sobre os cuidados que devem ser adotados para proteger o profissional de saúde e a população.

Qual o papel do Programa Nacional de Imunizações?

O Programa Nacional de Imunizações organiza a política nacional de imunização e indica quais vacinas são importantes de serem administradas na população. Atualmente, o calendário de vacinação no país contempla toda a família: desde a criança até a população idosa. Mais de 300 milhões de doses de vacinas são distribuídas todos os anos no país.

Sarampo: adultos entre 20 e 49 anos têm até o dia 30 para se vacinar

Adultos entre 20 a 49 anos têm até o dia 30 de outubro para se vacinar contra o sarampo nos mais de 40 mil postos de saúde em todo o país. A iniciativa faz parte do Plano de Ação para Interrupção da Circulação do Vírus do Sarampo no Brasil 2020. O Ministério da Saúde enviou 36 milhões de doses para reforçar a mobilização e alcançar o público-alvo de cerca de 90 milhões de pessoas.

Desde o início da ação, em 23 de março deste ano, cerca de 9 milhões de pessoas foram vacinadas. Até setembro deste ano, foram notificados 15.734 casos suspeitos de sarampo em 20 estados e no Distrito Federal. Nesse mesmo período, o Brasil registra sete óbitos pela doença, sendo um deles referente à faixa etária do público da campanha.

Diante da atual situação, o Ministério da Saúde tem desenvolvido ações em conjunto com os estados e municípios com o objetivo de interromper a circulação do vírus do sarampo. O Plano tem objetivo de elencar as atividades fundamentais e necessárias aos três entes federativos, envolvendo vigilância, imunização, laboratório e atenção à saúde, para que se possa alcançar a eliminação do sarampo no país.

A orientação do Ministério da Saúde é vacinar o maior número de pessoas possível contra sarampo. Mesmo diante do cenário de pandemia da Covid-19, a recomendação é que as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde tomem as medidas necessárias para evitar aglomeração nos serviços de vacinação, além de adoção de outras medidas de proteção individual, afim de garantir a segurança da população que irá se dirigir ao serviço de saúde para se vacinar.

Com Assessorias da SES-RJ e SMS-Rio e Agência Saúde

Fonte: www.vidaeacao.com.br/coloque-todas-as-vacinas-do-seu-filho-em-dia-num-so-dia

Coronavírus em Tempo Real