Aglomeração no feriadão: carioca esquece pandemia e lota praias e bares – ViDA & Ação

Mais de 16 mil pessoas já morreram desde março no Estado do Rio de Janeiro por causa das complicações causadas pela Covid-19, mas na Cidade Maravilhosa, onde , o respeito às orientações sanitárias e científicas cada vez mais é mais escasso. Os cariocas lotaram as praias e bares da cidade no feriadão da Independência, sem dar qualquer atenção às “regras de ouro” que deveriam ser observadas para conter a disseminação do novo coronavírus.

A Prefeitura do Rio – que havia iniciado na semana passada a fase 6 de flexibilização das medidas restritivas, com a reabertura de atividades culturais e pontos turísticos – fez um apelo à população para que siga as regras do plano de flexibilização, “visto que a pandemia ainda está em curso, e o descumprimento dessas normas pode trazer graves consequências”.

É fundamental que aglomerações sejam evitadas, como em praias e bares, porque a disseminação do vírus da Covid-19 expõe todos ao risco. Quem vai às ruas em condições inadequadas e descumprindo as regras sanitárias, pode não só contrair a doença, mas também contaminar outras pessoas, incluindo seus familiares em casa. Seguir as regras é um ato de responsabilidade”, diz a prefeitura, em nota distribuída à imprensa no fim da noite desta segunda-feira (7).

Ainda de acordo com o texto, a Prefeitura do Rio diz que “faz a sua parte com um trabalho de conscientização e fiscalização, mas a cidade é de todos e de todas”. E apela: “Só com a colaboração da população conseguiremos vencer esta difícil etapa”.

Ações integradas pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) já resultaram em 107 quiosques e ambulantes fiscalizados na orla da Zona Oeste durante o dia, e 38 estabelecimentos (bares, boates e casas de festa) com denúncias de eventos à noite. A ação resultou em 19 multas por diversas irregularidades, incluindo descumprimento às medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19.

Já durante o dia, foram fiscalizados 107 quiosques e ambulantes na orla das zonas Sul e Oeste, entre o sábado e esta segunda de feriado. Somente na segunda, a ação nas praias de Ipanema, Arpoador e Copacabana resultou em 33 ambulantes fiscalizados, 20 infrações da Coordenadoria de Controle Urbano, da Secretaria Municipal de Fazenda, além da apreensão de 196 itens irregulares, incluindo 64 máscaras faciais.  A operação removeu nove veículos (de um total de 26 em três dias na orla) por estacionamento irregular.

Em boletim divulgado nesta segunda à tarde, a Secretaria Municipal de Saúde registrou informou que a taxa de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 na rede SUS – que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais –  é de 82%. Já a taxa de ocupação nos leitos de enfermaria é de 61%.

Segundo a pasta, o “pequeno aumento” foi causado pela retirada de leitos (do sistema de regulação) do hospital de campanha do Parque dos Atletas, que está em processo de desmobilização para encerramento das atividades. Outra razão é a internação precoce de pacientes nesse tipo de leito. Como há disponibilidade de leitos, pacientes com maior risco de agravamento têm sido priorizados nos leitos de cuidados intensivos.

De acordo com a SMS, a rede municipal possui 881 leitos para Covid-19. Deste total, 251 são leitos de UTI. O número de leitos especializados na rede é maior do que a demanda por internações para tratamento da doença. “Importante ressaltar que a rede municipal não fechou nenhum leito de UTI”, destaca a Secretaria. Nas unidades da rede municipal, há 530 pacientes internados, sendo 211 em UTIs.* A rede SUS na capital tem 874 pessoas internadas em leitos especializados, sendo 391 em leitos de UTI. “Não há fila de espera, pois há leitos para todos os pacientes inseridos no sistema de regulação”, informou a SMS. Em toda a rede SUS da Região Metropolitana 1 – que engloba a capital e municípios da Baixada Fluminense – 42 pessoas estão em processo de transferência para leitos de Covid-19. Deste total, 12 são para UTI.

Higienização em comunidades – A Comlurb leva nesta terça-feira (8), a partir das 8h30, os serviços de higienização para combater a pandemia do coronavírus a diversas comunidades da cidade. O trabalho, que começou na Rocinha no dia 9 de abril, já atendeu todas as 633 comunidades da cidade. Nesta terça, os trabalhos serão reforçados na Comunidade Portugal Pequeno, na Taquara, Zona Oeste do Rio.

Fonte: www.vidaeacao.com.br/aglomeracao-no-feriadao

Coronavírus em Tempo Real