Protesto na Octogonal termina em abraço coletivo em criança agredida

No domingo (16/12) seguinte à agressão de dois adultos a uma criança na quadra de esportes de um condomínio na Octogonal, cerca de 50 pessoas, entre pais e filhos, organizaram protesto pedindo paz.

Dizeres como “aqui os grandes protegem os pequenos” e “gentileza, pratique esta ideia” ilustraram os cartazes. A ação também foi marcada por 50 balões soltos ao céu e um abraço coletivo na criança agredida: um menino de apenas 6 anos de idade.

Jucinea Nascimento, tia do garoto agredido, disse que o momento serve para mudar os ares da comunidade. Antes e durante o ato, meninos e meninas brincavam de bola e outras atividades na quadra esportiva. “É uma forma lúdica de ver o acontecimento. Transformá-lo em ato de amor”, afirmou, conversando com a imprensa presente.

Confira imagens da manifestação:

Protesto na Octogonal termina em abraço coletivo em criança agredida

Abrir em Tela Cheia imagem16-12-2018-21-12-12

Protesto na Octogonal termina em abraço coletivo em criança agredida

6 FOTOS
WhatsApp Image 2018 12 16 at 18.53.34 (2) 1/6

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles (@visantarosa)

WhatsApp Image 2018 12 16 at 18.53.33 (1) 2/6

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles (@visantarosa)

WhatsApp Image 2018 12 16 at 18.53.33 (2) 3/6

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles (@visantarosa)

WhatsApp Image 2018 12 16 at 18.53.31 4/6

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles (@visantarosa)

WhatsApp Image 2018 12 16 at 18.53.32 5/6

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles (@visantarosa)

WhatsApp Image 2018 12 16 at 18.53.34 6/6

Vinícius Santa Rosa/Metrópoles (@visantarosa)

“A gente confia muito nas autoridades. Atitudes precisam ser tomadas. O mais importante é ver meu sobrinho acolhido. Ele praticamente não desceu mais de casa. Hoje desceu, está brincando e se sentindo bem”, completou a tia.

Moradora do condomínio e uma das organizadoras do protesto, Rosana Duque, de 40 anos, explicou que a ideia do evento foi “aproveitar o que aconteceu para mostrar que aqui vivemos à base de amor e união”. “É assim que a gente vive”, destacou a nutricionista.

Seu marido, Marcos André Duque, de 45 anos, acredita que o domingo “é de felicidade”. “Não tem ligação com o que aconteceu. Hoje é limonada feita depois do limão”, resumiu.

O caso
A sequência de violência contra o menino, que visitava uma tia, foi captada pelo circuito interno de segurança do condomínio no último domingo (9/12). As cenas mostram como um garoto tropeçou sozinho ao jogar bola, caiu e bateu a boca no chão. Depois, a mesma criança aparece no colo do pai. O homem põe o filho no chão e atravessa a quadra, até se aproximar do visitante que ali brincava.

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga as agressões cometidas por um homem e uma mulher contra uma criança de seis anos, no último domingo (9/12), em um condomínio fechado na Octogonal. O filho do casal caiu em uma brincadeira de bola na quadra poliesportiva do residencial, mas os pais acabaram retaliando fisicamente o outro menino . O circuito de câmeras mostra que o garoto tropeçou sozinho e bateu a boca no chão. Momentos depois, o pai aparece na quadra em busca da outra criança que participava da brincadeira. O homem segura os braços do pequeno para o filho dar um soco no rosto dele. Em seguida, uma mulher, supostamente a mãe, empurra a vítima no chão e os três vão embora. . Vídeo: Redes Sociais . #revolta #agressão #df #distritofederal #octogonal

Uma publicação compartilhada por Metrópoles (@metropolesdf) em 12 de Dez, 2018 às 5:10 PST

O adulto segura os dois braços do pequeno para que seu filho o soque. Depois, ambos saem de cena. Na sequência, a mãe do menino machucado na queda aparece e empurra com as duas mãos o garoto que já havia sido socado. Ele cai no chão e a mulher deixa a quadra. Um vizinho que presenciou o fato socorreu o menor agredido e relatou o caso à tia dele, Jucinea Nascimento. Ela registrou boletim de ocorrência. A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente investiga.