Projeto Suporte orientações de primeiros socorros para estudantes em Teresina

Um projeto desenvolvido por alunos de Fisioterapia levou orientações de procedimentos de primeiros socorros para alunos do Ensino Médio da CEEP Professor Balduíno Barbosa de Deus, escola localizada na zona leste de Teresina. A iniciativa teve como objetivo compartilhar o conhecimento adquirido na universidade em outros ambientes.  

Supervisionados pela professora do curso de Fisioterapia do Centro Universitário Uninovafapi, Lilian Fortaleza, os acadêmicos ofereceram oficinas de reconhecimento dos sinais de AVC, paradas respiratórias e cardiorrespiratórias e orientaram sobre como agir em situações de engasgo, afogamento, queimaduras, dentre outros casos. 

A estudante Marina Gonçalves Oliveira é uma das idealizadoras do projeto de extensão Suporte Básico de Vida nas Escolas. “Decidimos procurar a professora Lilian em busca de apoio para o projeto porque quando pagamos a disciplina de Urgência e Emergência vimos que esses primeiros minutos de suporte básico de vida poderiam ser feitos por qualquer pessoa, não necessariamente um profissional da área da saúde”, afirmou. 

Marina também acrescentou que o público-alvo do projeto são alunos do Ensino Médio porque nesta fase eles já possuem maturidade suficiente para compreender quando usar cada manobra ensinada. “Infelizmente nas escolas nós não aprendemos primeiros socorros. Então pensamos em levar este projeto para estes espaços, já que é tão importante e pode salvar a vida de muita gente. Pretendemos levar o projeto para a maioria das escolas que possuem Ensino Médio”, explicou.

Aluna do 3° ano do Ensino Médio, Josnayra Denise Silva Aguiar, de 17 anos, revelou que antes de participar das oficinas sequer sabia os números de telefones de emergências como os SAMU e Corpo de Bombeiros. “Eu aprendi muitas coisas que eu não sabia. O número do SAMU e do Corpo de Bombeiros, por exemplo. Também aprendi como proceder em casos de queimaduras e afogamento. Agora eu já tenho noção de como agir para salvar uma pessoa”, disse.

Para a coordenadora pedagógica do CEEP Professor Balduíno Barbosa de Deus, Emanuelle Cristina Vieira, a iniciativa é maravilhosa. “Estas situações apresentadas podem acontecer na casa, na escola, no meio da rua e os alunos vão saber como lidar nos primeiros momentos. A oficina também serviu para que nós coordenadores saibamos como proceder para ajudar os alunos”, contou.

Para a professora Lilian Fortaleza, o projeto também serviu como uma oportunidade para os acadêmicos praticarem as técnicas de primeiros socorros, além de incentivar as atividades sociais. “Esse projeto também é uma maneira dos estudantes de Fisioterapia praticarem as técnicas de primeiros socorros. Além disso, eles também aproveitaram esta vivência fora do contexto da universidade, estimulando essa questão da ação social, de como construir uma sociedade melhor. A partir do momento que eles saem das paredes da sala de aula vão vislumbrar outros momentos e vão surgindo outros projetos”, pontua.