Professores ajudarão a identificar comportamento suicida em alunos

A Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS) iniciou, na terça-feira, uma capacitação com professores da rede municipal de ensino, com o objetivo identificar alunos com transtornos e comportamentos suicidas.

As taxas de suicídios, no Piauí, são elevadíssimas, e por isso evidenciam um grave problema de saúde pública. Até o momento foram registradas 327 tentativas de suicídio só este ano, em Teresina.

As dinâmicas realizadas durante a capacitação auxiliaram para um manejo adequado, na identificação dos primeiros sinais de ideações suicidas, e que podem aparecer na infância e adolescência.

De acordo com gerente da Fundação Municipal de Saúde, Luana Bueno, é importante que os profissionais possam identificar nas crianças e adolescentes o comportamento suicida. “Visando isso, é que a Fundação Municipal de Saúde vem proporcionando essa capacitação, para que os profissionais possam reconhecer e identificar nessas crianças e adolescentes esse comportamento, e    como ajudar para que eles confie em mim, nesse processo de saúde dele, e que ele está precisando de ajuda. Muitas vezes, a família, em casa, não consegue perceber no dia a dia e acha que alguns comportamentos são normais. Então, a gente está trazendo isso, para todos os profissionais da educação”, diz Luana Bueno.

O presidente da FMS, Charles Silveira, explica como o poder público pode contribuir ainda mais. Segundo ele, a FMS possui sete centros de atenção psicossocial, que são os CAPs (Centro de Atenção Psicossociais), o Pró-Vida, que funciona no Lineu Araújo, e ainda entidades filantrópicas que também fazem um trabalho associado ao trabalho da FMS.

Conheça a rede de assistência à saúde mental da FMS

PROVIDA  – Ambulatório especializado que atende especificamente pessoas que tentaram suicídio e que fica localizado dentro do Centro de Saúde Lineu Araújo. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e atende por demanda espontânea. Recentemente, a FMS ampliou a quantidade de psicólogos e psiquiatras que atuam nesse ambulatório.

Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) – Atendem pessoas com transtornos mentais severos e possuem equipe composta por psiquiatra, psicólogo, enfermeiro, terapeuta ocupacional, assistente social e equipe de apoio. Nestes locais, são realizadas atividades em grupo, atendimentos individuais, oficinas terapêuticas e atendimento à família.

Unidades Básicas de Saúde – Podem atender casos de transtornos mentais leves e possuem médicos e enfermeiros capacitados para esse tipo de atendimento. Se houver necessidade, na própria Unidade, a pessoa faz a marcação para se consultar com psicólogos e psiquiatras nos ambulatórios espalhados em Teresina.

SAMU 192 – Em caso de urgência psiquiátrica, como surto psicótico ou tentativa de suicídio, a população pode acionar o SAMU, por meio do número gratuito 192, ou ir por meios próprios para o Hospital Areolino de Abreu, que possui psiquiatras 24 horas e é o hospital referência em atendimento de urgência psiquiátrica. Outra opção é se dirigir aos CAPS.

Centro de Valorização da Vida (CVV) – telefone 188; Centro Débora Mesquita (CDM) – telefone: (86)99827-3343/ 98894-5742;  e Grupo Apoio Contato e Esperança (GRACE) – telefone: (86)3237-0077/3237-0202 são organizações filantrópicas que contribuem com a prevenção e posvenção do suicídio em Teresina.

Fonte: meio norte

Fonte: www.piauiemfoco.com.br/municipios/professores-ajudarao-a-identificar-comportamento-suicida-em-alunos