Mudança do DOU pode tornar entrada de Weintraub nos EUA irregular | Matheus Leitão

O Diário Oficial da União (DOU) publicou um decreto retificando a data da demissão de Abraham Weintraub do ministério da Educação. Ela foi corrigida do dia 20 para o dia 19 de junho. Com a mudança, publicada nesta terça-feira, 23, a exoneração de Weintraub deixa de se tornar oficial somente após o desembarque dele nos Estados Unidos, mas antes do político entrar no avião, na noite anterior.

A medida do governo acontece após o Ministério Público pedir que o Tribunal de Contas da União (TCU) apure se houve a atuação irregular do Itamaraty na viagem de Weintraub aos EUA, onde ele deverá assumir um alto posto no Banco Mundial.

O órgão investiga a utilização do passaporte diplomático no episódio, já que, com o documento vermelho, Weintraub não precisa passar pelas restrições exigidas a brasileiros pelo governo norte-americano por conta da pandemia do coronavírus.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais
Acharam o Queiroz. E perto demais
Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil Clique e Assine

“O uso desse tipo de passaporte teria objetivado, conforme algumas notícias divulgadas em diversos veículos de mídia, evitar uma quarentena obrigatória para entrada nos Estados Unidos, devido à pandemia da covid-19″, afirma o Ministério Público ao TCU. Após chegar nos EUA, Abraham Weintraub publicou algumas fotos em frente a lojas de fast-food. Se ele tivesse entrado com o passaporte normal, estaria em isolamento por 14 dias.

Continua após a publicidade

Fato é que, com a alteração no DOU, a maneira como Abraham Weintraub entrou nos Estados Unidos pode ser considerada irregular. O ex-ministro entrou com o documento diplomático que não poderia ter sido usado, dando a ele privilégios aos quais não tinha mais direito.

O ex-ministro da Educação é investigado por racismo após declarações contra o governo chinês e por ameaças a magistrados do Supremo Tribunal Federal (STF) – já que defendeu a prisão de todos os seus membros na reunião ministerial do dia 22 de abril.

Esta é a segunda vez que o governo faz um arremedo no Diário Oficial da União na esteira de demissões polêmicas. A primeira vez aconteceu na exoneração do ex-diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo.

Fonte: veja.abril.com.br/blog/matheus-leitao/mudanca-do-dou-pode-tornar-entrada-de-weintraub-nos-eua-irregular

Coronavírus em Tempo Real