Fábio Abreu defende integração e plano de carreira na Guarda Municipal

No quadro ‘Pré-Candidatos na Hora da Verdade’ na edição desta quarta-feira, 29 de julho, do ‘Agora’, os jornalistas Amadeu Campos, Arimatéa Carvalho, Efrém Ribeiro e Sávia Barreto entrevistaram o pré-candidato à Prefeitura de Teresina, o deputado federal Fábio Abreu (PL).

Na ocasião, o representante do PL destacou que a manifestação popular o levou à pré-candidatura, elencando qual a função de um prefeito na sua visão.

“A principal resposta a mim foi dada pela manifestação da população de  Teresina, fui abraçado por Teresina duas vezes, na primeira vez tive 62 mil votos e na segunda quase 62 mil também, e acompanhando as pesquisas pessoas que se manifestam nesta mesma linha, então eu aceitei esse convite sempre com o objetivo de participar e dar feedback, e é um sonho de todo teresinense ser prefeito dessa cidade”, afirmou.

Fábio Abreu destacou o foco no diálogo com a sociedade, no intuito de atender aos seus anseios nas mais distintas áreas, como saúde, educação e mobilidade urbana. “O prefeito tem que ter como objetivo principal cuidar das pessoas, do dia a dia, que sejam  transportadas da forma mais eficiente, segura, tem que buscar condições das pessoas se desenvolverem na sua parte educacional principalmente, tem que cuidar da saúde do cidadão teresinense, do social, do esporte, cuidar do teresinense, e você cuida da cidade conversando com as pessoas, com essa capacidade de dialogar, saber dos problemas a partir do que as pessoas precisam”, afirmou.

Questionado sobre a possibilidade do cancelamento do Corso de 2021, Fábio Abreu disse que irá se basear na ciência, no que os técnicos  da Organização Mundial da Saúde recomendarão no momento, e o exemplo das demais capitais, principalmente São Paulo e Rio de Janeiro, onde o carnaval é mais forte.

“É uma pergunta importante, pois de fato quem vai tomar essa decisão é o próximo prefeito, mais acima de tudo acredito nos técnicos profissionais, temos a OMS e se tivermos até o momento desse evento decisões através das OMS, e equipes de prefeituras de SP e RJ que iniciarão o carnaval só se houver vacinação, a decisão fica condicionada a essa solução definitiva com vacina, do contrário muito dificilmente não terá evento”, afirmou.

Vice na chapa

No que diz respeito a indicação do vice na chapa, Fábio Abreu indicou que quer alguém participativo, que não fique apenas na sombra do prefeito. “O que podemos afirmar é que o nosso vice, ou nossa vice será alguém que participará efetivamente, não será uma mera ilustração, conversei com membros do Republicanos, com esse objetivo. Não temos nomes, temos tempo para tomar decisão, estamos conversando com outros partidos para de forma tranquila assumir essa posição”, destacou.

O deputado federal ainda criticou a baixaria na campanha política, principalmente com fake news, assim ele sinalizou que busca uma campanha propositiva. “Temos vários pontos, inclusive pessoa usando o CPF de uma pessoa que já faleceu. Minha preocupação é com uma eleição que seja propositiva, com propostas exequíveis, estamos observando problemas crônicos na sociedade teresinense, e que em 40 anos não se resolveu; problema de saneamento básico, transporte  público; é nesse aspecto que vamos estar  apresentando nossa campanha. Estamos numa campanha que está neste nível, nossa sociedade não merece, não precisa de tantas informações falsas para destoar a falta  de propostas”, comentou.

Guarda Municipal

Fábio Abreu ainda defendeu a integração da Guarda Municipal com os outros órgãos de polícia. “Vamos estabelecer um processo de carreira dentro da Guarda Municipal, tem um papel importantíssimo, precisamos de um aspecto de integração com as demais instituições, a gerência não permitia essa integração, na nossa gestão será totalmente diferente”, disse.

Sobre ser o pré-candidato do governador Wellington Dias, Fábio Abreu ressaltou a amizade com o líder estadual, mas indicou que respeita as pré-candidaturas dos demais partidos, e o PT já possui a sua. “Trato esse assunto e sempre expressei que os partidos que tem pré-candidato eu respeito, e o PT tem pré-candidato e é natural que o PT tenha atenção ao Fábio Novo, mas não posso negar que fui secretario, tenho amizade, e essa característica de integração. Não somos uma ilha, prefeitura não é propriedade privada de uma família, e o próximo prefeito vamos ter que ter uma relação com o governador, imagina se você tem o radicalismo de não conversar com o governador, o Governo Federal, quem sofre é o município”, destacou.

No que tange ao vice, Abreu confirmou as conversas com o Republicanos, mas negou que já haja uma definição sobre Gessivaldo Isaías. “Temos tempo, temos um cuidado para conversar com os partidos para ter um vice e participativo, tenho conversado bastante com o Pastor Gessivaldo, com  Republicanos, mas não chegamos a essa conclusão”, afirmou.

Questionado sobre o plano de gestão, caso seja eleito, Abreu reverberou que irá ouvir os especialistas em cada área. “Temos trabalhado um plano de Governo com as pessoas que tem a expertise em cada área de ação, por exemplo na saúde temos falado com os agentes de saúde, com especialistas mais  experientes, vamos conversar essa parceria de Poder Público com iniciativa privada, o processo de convênio será ampliado para que as pessoas possam ser atendidos. Vamos focar na construção do Hospital da Criação. Na área da geração de emprego é preciso conversar com as pessoas que geram emprego, que foram muitos atingidos nesta pandemia, porque não conversar, chegar a uma conclusão e fazer as adequações necessárias, isso visando a geração de emprego, claro que a Prefeitura deve ter sua participação, redução de tributos, banco de fomento, para fornecer os recursos necessários para essas pessoas retomarem emprego. Não tenha dúvidas que em 2021 o foco será a geração de emprego. Qualquer gestor ao assumir a gestão sem fazer uma reforma administrativa, mas tem que fazer entendendo a estrutura, num processo de conhecimento de cada Secretaria; não tenha dúvidas que terá, mas com muito cuidado”, disse.

Reformulação nas SDUs. 

Fábio Abreu defendeu a manutenção das SDUs, porém, as equipando com mais serviços para a população, de modo a se aproximar cada vez mais das demandas.

“Quanto as SDUs entendo que as Prefeituras devem estar cada vez mais perto da população, não podemos centralizar, meu objetivo é potencializar as SDUs, precisa ser reformulada, mas a situação de proximidade das pessoas deve acontecer, podemos expandir para a zona rural, que foi esquecida nesta gestão”, disse.

meionorte.com

Coronavírus em Tempo Real