Criticado por ‘genocídio’, Bolsonaro diz que Doria “não é homem”

Em participação no programa do jornalista José Luiz Datena, Jair Bolsonaro rebateu críticas do governador João Doria chamando-o de “calcinha apertada” e “canalha”. “Nada contra a opção dele, mas é duro trabalhar com um cara com esse tipo de opção”, disse.

air Bolsonaro rebateu na tarde desta sexta-feira (15) as críticas do governador de São Paulo, João Doria, sobre o descaso do governo com o colapso da saúde em Manaus. 

Durante participação no programa Brasil Urgente, do jornalista José Luiz Datena, Bolsonaro chamou Doria de “pilantra”, disse que o governador “não era homem” e deu informações distorcidas sobre decisão do Supremo Tribunal Federal acerca do poder de atuação do governo federal com estados e municípios na pandemia. 

“Será que ele tem coragem moral? Porque homem ele não é, nós sabemos que esse pilantra aí não é homem. Tem coragem moral de criticar o Supremo Tribunal Federal dizendo que eu não posso interferir. Se esse moleque tem coragem moral, critica o STF”, disse. Bolsonaro ainda chamou Doria de “calcinha apertada” e “canalha”. 

Ao contrário de sua decisão, o STF não impediu o governo federal de ajudar a solucionar o colapso da saúde em Manaus. A Corte definiu que as medidas de segurança sanitária devem ser coordenadas pelos gestores locais. 

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, João Doria disse que o Brasil vive um “genocídio”, criticou o “negacionismo” do governo federal e pediu uma reação do Congresso Nacional. 

Brasil 247 – Foto: GOVSP | Alan Santos/PR