Polícia faz operação antibomba mas só encontra roupas em mala na Esplanada

A três dias da posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), o esquadrão antibombas da Polícia Militar do Distrito Federal foi acionado após um segurança encontrar uma mala deixada nos arredores do prédio do Ministério do Planejamento, em Brasília.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o Batalhão de Operações Especiais (Bope) vasculhou a mala, mas a bolsa possuía apenas roupas, sem nenhum tipo de material explosivo.

A partir deste sábado 29, a Esplanada dos Ministérios estará fechada para trânsito de veículos. A posse de Bolsonaro acontecerá no dia 1º de janeiro, em uma cerimônia de três etapas, que envolverá uma sessão solene do Congresso Nacional, a passagem da faixa presidencial no Palácio do Planalto e uma recepção no Palácio do Itamaraty.

Ao todo, são esperadas 500.000 pessoas para assistir à chegada do presidente eleito ao Planalto e seu primeiro discurso oficial. Para lidar com o tamanho do público e o risco de um possível novo atentado contra o presidente eleito, as forças de segurança do DF e da Presidência montaram a “Operação Posse”. Cerca de 2.600 policiais militares trabalharão na região da Esplanada. Serão 36 agentes do Detran e mais 350 militares do Corpo de Bombeiros e 25 viaturas prontos para a Operação.

Jair Bolsonaro deixou sua residência no Rio de Janeiro na tarde deste sábado, acompanhado da esposa, Michelle Bolsonaro, e dos cinco filhos. Ele já embarcou para Brasília, onde se hospedará na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência da República. Na saída, ele foi abordado por apoiadores, ao som de gritos de “mito”. Bolsonaro abriu a porta do carro e agradeceu aos militantes.