PF deflagra nova fase de operação contra fraudes no porto de Santos

A Polícia Federal realiza na manhã desta quinta-feira, 22, uma nava fase da Operação Tritão, deflagrada em outubro de 2018 contra uma organização criminosa acusada de fraudar licitações e contratos públicos na Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), que administra o porto de Santos.

Baseados em provas obtidas na primeira fase e depoimentos prestados em acordo de delação premiada, a Polícia Federal afirma ter conseguido comprovar as fraudes inicialmente investigadas, além de outras que se repetiram mesmo após a prisão de suspeitos em outubro do ano passado.

Na Operação Círculo Vicioso, como foi batizada a nova fase, foram expedidos pela 5ª Vara da Justiça Federal de Santos 21 mandados de prisão temporária e 24 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Santos, Guarujá, Ilhabela, Bragança Paulista, Serra Negra, Duque de Caxias (RJ) e Fortaleza.

Os prejuízos causados à Codesp superam, nessa etapa, a cifra de mais de 100 milhões de reais. Os suspeitos são acusados de organização e associação criminosa, fraude a licitações e corrupção ativa e passiva. A operação conta com o apoio da Controladoria Geral da União e do Ministério Público Federal.

Na primeira fase da operação, foram presos temporariamente José Alex Oliva, diretor-presidente da Codesp, e seu ex-assessor Carlos Antonio de Souza, o Carlinhos, e mais cinco pessoas também ligadas à companhia.  Segundo a PF, as suspeitas começaram em 2016, quando Carlinhos publicou um vídeo na internet no qual “confessava a prática de diversos delitos ocorridos no âmbito daquela empresa”.

Fonte: veja.abril.com.br/politica/pf-deflagra-nova-fase-de-operacao-contra-fraudes-no-porto-de-santos