Os primeiros indícios de uma guerra entre humanos

Há 3 mil anos, pelo menos 140 combatentes morreram em uma batalha ao longo das margens do rio Tollense, na Alemanha, em período histórico conhecido como Idade do Bronze. Um dos mortos derrubou uma pequena bolsa contendo pedaços de metal e ferramentas usadas na vida cotidiana, como um cinzel, um furador com o cabo de madeira ainda preservado, uma faca e uma pequena espada. Os itens agora foram encontrados e datados por pesquisadores da Universidade de Greifswald e da Universidade de Göttingen, na Alemanha, que divulgaram a descoberta na quarta-feira 17.

Com base nos tipos de artefatos que os arqueólogos encontraram neste kit, eles concluíram que pelo menos alguns dos combatentes da batalha pré-histórica provavelmente vieram de centenas de quilômetros de distância, de alguma região da Europa Central, no leste da França e na região da Boêmia, na República Tcheca. Segundo os arqueólogos da Universidade de Göttingen, isso sugere que as batalhas em larga escala, entre grupos distantes, começaram muito antes dos grupos étnicos da Europa desenvolverem um sistema de escrita para registrar a história de seus conflitos.

A margem do rio onde foram encontrados os objetos hoje é um lugar tranquilo, mas sob a grama verde se escondem os restos de soldados caídos e suas armas quebradas há espalhadas por pelo menos 2,5 quilômetros ao longo do rio. A maior parte do que se sabe sobre a Idade do Bronze européia vem de contextos, digamos, mais pacíficos, como assentamentos ou locais de sepultamento; os ossos, armas e objetos pessoais ao longo do rio Tollense são a única evidência arqueológica (até agora) de uma batalha na Europa pré-histórica.

Análises químicas dos restos mortais já haviam sido realizadas em 2017 e publicadas na revista Archaeological and Anthropological Sciences. À época os pesquisadores descobriram que os guerreiros eram geneticamente muito diversos, e, provavelmente, pertenciam de diferentes regiões da Europa. Agora, a ciência natural, junto com as evidências arqueológicas, se complementam em uma confirmação de que esses homens vieram de muito longe para lutar.

Fonte: veja.abril.com.br/ciencia/os-primeiros-indicios-de-uma-guerra-entre-humanos