Obstáculo para o Brexit continua apesar de vitória de Boris Johnson

Partido do premiê britânico teve triunfo histórico nesta quinta-feira

O Partido Conservador do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, conquistou o maior número de votos nas eleições parlamentares realizadas no país e o conservador foi reeleito como premiê. Sua vitória aumenta a expectativa de um Brexit em 31 de janeiro de 2020, mas não encerra o impasse sobre como deixar a União Europeia (UE) no qual o país está preso há mais de três anos.

Johnson conseguiu uma vitória histórica – a maior dos conservadores desde o triunfo de Margaret Thatcher em 1987 – e atingiu a maioria muito antes do resultado final. No total, os conservadores passaram de 298 assentos para 364, enquanto o Partido Trabalhista foi de 242 cadeiras para 203. Derrotado, Jeremy Corbyn afirmou que não tentará uma nova eleição na liderança da legenda.

Nas eleições legislativas para o Parlamento Europeu de maio, quando o Partido Conservador ainda estava sob o comando de Theresa May, os conservadores ficaram em quinto lugar entre as siglas mais votadas do Reino Unido, com apenas 8,8% dos votos – uma performance muito aquém da esperada para a legenda.

Johnson foi eleito líder do Partido Conservador e, consequentemente, premiê em julho deste ano, prometendo o Brexit “custe o que custar”. Embora este homem de 55 anos com uma cabeleira loira revolta desperte muitas críticas por sua retórica populista, que lhe valeu a comparação com Donald Trump e uma falta de rigor que muitos avaliam com desconfiança, ele é um dos políticos mais populares do país.

Fonte: veja.abril.com.br