“O Pranto do Artista”, filme produzido no Piauí e no Maranhão, recebe segundo prêmio de Melhor Filme em festival

“O Pranto do Artista”, filme dirigido por Weslley Oliveira e Milena Rocha, levou nesta sexta-feira (21), o prêmio Bernardo Almeida de Melhor Filme Longa Metragem, pelo Júri Técnico do 42° Guarnicê Festival de Cinema, na cidade de São Luís (MA). Esse é o segundo prêmio de melhor filme que o longa, em formato documentário, conquista. A produção é uma realização do coletivo LabCine, e apresenta a história do Circo Young, pertencente a uma família que vive na periferia de Timon (MA).

imagem22-06-2019-20-06-06Weslley Oliveira recebendo o prêmio (Foto: Acervo do festival)

Ao Entrecultura, Weslley Oliveira conta que não acreditava que tivesse tanta chance de levar o prêmio, considerando que concorria com outras grandes produções em um festival bastante tradicional (o quarto mais antigo do Brasil). “Confesso que já fiquei em êxtase quando fomos selecionados, porque o Guarnicê é um festival muito tradicional, só em participar fiquei muito feliz, passando a semana aqui, compartilhando. Conheci muita gente da cena, gente que já sabe do nosso trabalho incentivando a gente, e muita gente surpresa, porque descobriram Timon, eu sou de Timon e meu discurso ao receber o prêmio foi esse, de que o Maranhão é grande e precisamos olhar para o interior”, coloca.

O filme é fruto do Trabalho de Conclusão de Curso de Weslley, que é formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). O longa tem uma narrativa híbrida e conta, ao mesmo tempo, a história da família Feitosa (do circo) e a dos membros do LabCine nos desdobramentos da produção e seus imprevistos.

imagem22-06-2019-20-06-07Circo Young (Foto: LabCine)

“Quando comecei a pesquisar sobre o circo, já estudava cinema e já pensava o documentário, e quem estuda cinema tem que entender que cinema é todo um processo, não é só produzir um filme, mas pensar em distribuição, como o filme vai chegar nas pessoas. A circulação desse filme não é fácil, porque ele não tem pretensões comerciais, e possui uma narrativa não convencional, mas felizmente estamos recebendo boa aceitação.. Receber um prêmio de um júri técnico é sinal de que estamos no caminho certo, estamos estudando, criando nosso próprio conceito e valorizando nossa identidade, e a cada festival damos um passo para a construção dessa identidade audiovisual piauiense”, destaca o diretor.

imagem22-06-2019-20-06-08Weslley Oliveira (Foto: LabCine)

Por fim, o diretor ressalta a importância do coletivo para a realização desse projeto. “Se não fosse o grupo, o filme não existiria, e o filme também é sobre o LabCine, sobre o momento em que a gente estava se encontrando e trabalhando junto, pensando formas de fazer cinema dentro da universidade. Devo muito a Milena Rocha, ao Fabrício Campos, a Renata Fortes, ao Germano Portela, ao Victor Santos, todo mundo que participou até indiretamente e que integra esse selo. Temos muita sorte de já nesse início termos agregado muita gente boa. Quero que esse selo se valorize cada vez mais, para que mais pessoas tenham acesso. O LabCine é essa rede, é quem faz o filme, é quem faz matérias sobre o filme, é quem empresta um pendrive, um computador, é essa coisa até fora de controle, e que bom que é assim”, finaliza.

Fonte: entrecultura.com.br/2019/06/22/o-pranto-do-artista-filme-produzido-no-piaui-e-no-maranhao-recebe-segundo-premio-de-melhor-filme-em-festival