No Palmeiras, Ricardo Goulart terá o maior salário do futebol brasileiro

O Palmeiras passou a contar com um dos jogadores que mais tem a confiança do técnico Luiz Felipe Scolari. O atacante Ricardo Goulart, de 27 anos, assinou contrato de empréstimo por uma temporada e tentará repetir no clube alviverde a parceria vitoriosa vivida com o treinador no Guangzhou Evergrande, da China. A dupla trabalhou junta por três temporadas, com sete títulos conquistados

A diretoria do Palmeiras anunciou na terça-feira, 15, o reforço. Goulart é a sexta contratação para 2019, depois de Arthur, Carlos Eduardo, Felipe Pires, Matheus Fernandes, Zé Raphael e será o jogador mais bem remunerado do futebol brasileiro. Dos cerca de 3 milhões de reais mensais, o clube alviverde pagará o teto salarial do clube, de 600 000 reais, enquanto que os 2,4 milhões de reais restantes virão do Guangzhou Evergrande, com quem tem contrato até dezembro de 2020. Nenhum outro jogador em atividade no Brasil tem vencimentos mensais superiores a essa cifra.

“É uma felicidade muito grande. Agradeço o esforço que o Palmeiras fez. Agora estou vestindo essa camisa que tem uma história muito linda. Espero ser muito feliz aqui”, disse o jogador à TV Palmeiras. “Não vai faltar dedicação, vou fazer meu melhor dentro de campo. Não vai faltar empenho. Que a gente seja muito feliz juntos”. O contrato de empréstimo firmado entre os clubes possui ainda um acordo prévio sobre a compra ao final do período de empréstimo. O valor está fixado em cerca de 42 milhões de reais.

Goulart está em recuperação de uma cirurgia no joelho direito realizada em outubro e só deve ter condições de atuar no final de fevereiro. Antes mesmo do acerto, o meia usava a estrutura do Palmeiras para fazer os trabalhos de fisioterapia, com a autorização do clube chinês. Felipão acompanhou a negociação e insistiu para contar com o jogador, que foi importante para as conquistas obtidas durante a passagem pela China.

Com Felipão no comando do Guangzhou Evergrande, Goulart jogou 129 partidas, fez 82 gols e deu 43 assistências. O protagonismo nos números rendeu a ele prêmios individuais significativos, como a indicação de melhor jogador da Liga dos Campeões da Ásia de 2015 e do Campeonato Chinês de 2016.

O reforço palmeirense atuou na equipe chinesa como armador. Felipão organizava o time no esquema 4-2-3-1, com Goulart como o meia centralizado no trio de meio de campo. A posição lhe ajudou a ter mobilidade para buscar a bola e aparecer na área na finalizar. O principal título da dupla veio em 2015, na Liga dos Campeões da Ásia. Por essa conquista, o Guangzhou Evergrande disputou o Mundial de Clubes da Fifa naquele ano.

Também pesou para o desfecho positivo o interesse do próprio Goulart e a ligação próxima dele com o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos. Os dois trabalharam juntos no Cruzeiro bicampeão brasileiro em 2013 e 2014.