Onda de protestos não cessa em Sófia

Contra o governo marchar, marchar, milhares de manifestantes protestam contra o executivo búlgaro no centro da capital Sofia há 24 dias consecutivos.

Acusam o governo de corrupção, de representar os interesses dos oligarcas e não os das populações.

“Não há separação de poderes na Bulgária. Não devia haver uma quota política no supremo conselho judicial. Temos uma quota eleita pelo parlamento, logo é política. Não é possível evitar a corrupção. Estamos desgraçados”, diz uma manifestante.

Os manifestantes acamparam no meio de três artérias principais de Sofia provocando o caos na cidade.

Mais ainda, a autoestrada que faz ligação com a Grécia também foi palco de uma manifestação pelo que o acesso foi interrompido a 120 quilómetros a sul de Sófia, junto a Blagoevgrad.

Os protestos eclodiram depois de ter sido publicado o vídeo que mostra um líder da oposição a ser obrigado pela polícia a retirar-se de uma praia usada como espaço privado por um político influente e controverso, Ahmed Dogan.

Cerca de 60 % dos búlgaros apoiam os protestos e 45% pedem a demissão do primeiro-ministro Boïko Metodiev Borissov, de acordo com uma sondagem publicada este domingo pela empresa Alpha Research.

Ainda segundo esse estudo de opinião, 50,3 % pensam também que Dogan controla a procuradoria-geral.

Fonte: pt.euronews.com/2020/08/02/onda-de-protestos-nao-cessa-em-sofia

Coronavírus em Tempo Real