Não vacinados são 84% das internações e 78% das mortes por Covid na França – Hora do Povo

“O recente aumento de internações se deve às pessoas não vacinadas”, destaca estudo do governo francês. (PrensaLatina)

Pessoas que não quiseram ou não puderam se vacinar contra a Covid-19 representam cerca de 85% dos hospitalizados – incluídos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) – e 78% das mortes causadas pelo coronavírus, aponta um estudo recente publicado pelo governo francês.

Envolvendo diversos ministérios, o levantamento realizado entre 31 de maio e 11 de julho, aponta que as pessoas não vacinadas representavam 84% nas internações hospitalares convencionais e 85% nas UTIs.

“O recente aumento das internações hospitalares se deve às pessoas não vacinadas”, destaca o informe, combatendo os negacionistas, e esclarecendo que o resultado foi obtido combinando dados dos resultados de testes de Covid-19, vacinações e hospitalizações convencionais ou em terapia intensiva.

45% SEM NENHUMA DOSE

O estudo esclarece que os pacientes totalmente vacinados representaram apenas 7% das internações no período, uma proporção cinco vezes inferior ao percentual de vacinados da população francesa. No momento do estudo, tão somente 35% da população havia sido completamente vacinada e 45% ainda não tinham recebido nenhuma dose da vacina.

A proporção de hospitalizados que não foram vacinados, 84%-85% dependendo do tipo internação, é quase o dobro da proporção de não vacinados na população em geral.

Em 11 de julho, por exemplo, toda a França registrou 55 hospitalizações de pessoas não vacinadas e 7 de pessoas vacinadas.

Entre todas as mortes registradas em hospitais nesse período- 926 no total – entre o final de maio e 11 de junho, 78% foram de pessoas não vacinadas, 11% de pessoas totalmente vacinadas e 11% de pessoas que receberam apenas a primeira dose.

VARIANTE DELTA, CASOS GRAVES

A variante Delta, por sua vez, aparece de forma mais elevada entre os testes de controle na chegada dos pacientes ao hospital, o que sugere que esta cepa “provoca uma proporção um pouco mais alta de casos graves”.

E enquanto a variante Delta segue se expandindo por todo território, especialmente entre os jovens segue o debate sobre a importância da vacina. Há poucos dias, numa pesquisa do jornal Le Figaro, o tema da vacinação obrigatória venceu por 62,1% contra 37,9% dos que se opõem.

Enquanto isso, nessa sexta-feira (30), 7.236 pessoas seguiam internadas nos hospitais franceses, com 1.015 pacientes em UTIs, 23 pessoas a mais do que na quarta-feira (28). Nas últimas 24 horas foram detectados 25.190 novos casos de covid-19 e 27 mortes associadas a complicações causadas pelo vírus.

CORRIDA CONTRA O TEMPO

“Estamos em uma corrida contra o tempo e agora é quando se joga”, declarou a juíza Farida Adlani, vice-presidente do conselho regional de Ile-de-France, encarregada de questões de saúde. Ela é enfermeira em Aulnay-sous Bois, em um hospital em Seine-Saint-Denis, um subúrbio de Paris onde não há muitos vacinados.

Embora afete todas as idades, a “quarta onda” está afetando principalmente os jovens. A incidência disparou no último período entre pessoas de 20 a 29 anos, as menos vacinadas, apesar de levarem uma vida social muito mais ativa e, portanto, com mais potencial de contaminação.

“Quando você está vacinado, você tem pelo menos quatro vezes menos risco de pegar o coronavírus”, disse o ministro da Saúde, Olivier Verán.

Fonte: horadopovo.com.br/nao-vacinados-sao-84-das-internacoes-e-78-das-mortes-por-covid-na-franca