Grupo de italianos nega existência de pandemia de Covid-19

Enquanto o número de casos de Covid-19 continua a aumentar em Itália – 1.695 em 24 horas, e 16 mortos – centenas de pessoas, que negam a existência da pandemia e se recusam a usar máscara, reuniram-se em Roma este sábado.

Sobre a manifestação, o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, afirmou que a estas pessoas responde com números. Hpje, são já mais de 276.000 infetados, desde o início da propagação do vírus no país, e de 35.500 mortos. Sexta-feira, ultrapassou-se as mais de 1.700 infeções só num dia, o maior aumento desde o início de maio.

Na República checa cumprem-se, mais um menos, as regras o que não evitou o maior registo diário no número de infetados desde março, na sexta-feira. Atual há quase 7800, com Praga a ser colocada em alerta laranja.

A partir de nove de setembro as máscaras serão obrigatórias em lojas, transportes públicos, instituições públicas e instalações médicas. Os bares e restaurantes terão de fechar entre a meia-noite e as 6h da manhã. A partir de 14 de setembro, as máscaras serão obrigatórias nas escolas.

Na Alemanha a solução encontrada para fazer face a esta crise, e a outras que poderão vir, foi a de investir no Sistema Nacional de Saúde com até 5.000 novos empregos e 4 mil milhões de euros para pôr a funcionar os centros de Saúde, por todo o país.

O ministro da Saúde explicava que o objetivo não é apenas superar a pandemia, da melhor maneira possível, mas também aprender com ela. “Aprender como podemos fortalecer o serviço público de saúde para o futuro, para esta década”, esclarecia Jens Spahn.

No Irão arrancou o ano letivo este sábado, após uma paralisação de quase seis meses. Mas os pais mostram-se apreensivos ainda que as autoridades prometam fazer cumprir os protocolos de saúde. Máscaras e medição de temperatura são obrigatórias, bem como a passagem por um túnel de desinfeção.

Fonte: pt.euronews.com/2020/09/05/grupo-de-italianos-nega-existencia-de-pandemia-de-covid-19

Coronavírus em Tempo Real