Justiça determina que Allison Wattson cumpra prisão especial na Irmão Guido

A Justiça autorizou que o ex-capitão da Polícia Militar, Allison Wattson da Silva Nascimento, cumpra prisão em cela especial na penitenciária Irmão Guido, em Teresina. Ele é acusado de matar a estudante Camilla Abreu. A decisão é da juíza Patrícia Luz Cavalcante, que está respondendo pela 2ª Vara do Tribunal Popular do Júri. A magistrada alegou que Wattson pode usufruir do benefício, já que possui diploma em Curso de Ensino Superior.

Ele está preso na Penitenciaria Regional José Arimatéia Barbosa Leite, em Campo Maior, no entanto, segundo a juíza, isso poderia dificultar o contato da família e demais direitos do acusado.

O pedido de transferência foi feito pela defesa do ex-capitão. Segundo o advogado Pitagoras Veloso, Allisson deveria ter sido transferido desde o dia 13 de março, quando o juiz Robledo Peres de Almeida decidiu que ele deveria ficar no presídio militar.

“Agora no dia 22 teve outra decisão, dessa vez para a Irmão Guido. Já são duas ordens judiciais e ele ainda está lá”, afirmou.

O advogado disse que Allisson corre risco de morte, já que está em um local justamente com gente que ele ajudou a prender, quando trabalhou naquela penitenciária. “Colocaram ele no meio das pessoas que ele prendeu”, declarou.

O ex-capitão é graduado em Licenciatura em Inglês e em Segurança Pública. O próximo passo da defesa é pedir que Allisson Wattson volte para o presídio militar.

Allisson Wattson da Silva Nascimento foi expulso da PM no dia 04 de fevereiro deste ano. Por unanimidade, o Tribunal de Justiça do Piauí determinou a perda da patente e do posto do capitão da Polícia Militar do Piauí,.

No dia 1º de março, a TV Cidade Verde flagrou o ex-capitão ainda detido no Quartel da PM, em Teresina. No dia 8 de março, a então governadora em exercício, Regina Sousa (PT), assinou o decreto de exoneração de Alisson Wattson. 

Foto: Reprodução/TV Cidade Verde

O crime 

O corpo da estudante Camila Pereira Abreu, 21 anos, foi encontrado no povoado Mucuim, na zona rural de Teresina, no dia 31 de outubro de 2017. O capitão da PM na época, namorado de Camilla e suspeito do crime, levou a polícia até o local.

Fonte: cidadeverde.com