Weintraub e Ernesto Araújo teriam defendido a prisão de ministros do STF

Abraham Weintraub e Ernesto Araújo teriam defendido a prisão de ministros do STF

A divulgação do vídeo da reunião ministerial do 22 de abril, que faz parte do inquérito que apura as denúncias de Sergio Moro contra Jair Bolsonaro, poderá resultar na queda dos ministros da Educação, Abraham Weintraub, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. 

Segundo reportagem de Igor Gadelha, na revista Crusoé, um bolsonarista com acesso ao Palácio do Planalto teria afirmado que “se publicarem esse vídeo na íntegra, Weintraub vai preso por ordem do Supremo e Ernesto cai”.

Na reunião,  Weintraub teria defendido a prisão de ministros Supremo Tribunal Federal (STF), e o chanceler teria criticado duramente a China, um dos principais parceiros comerciais do Brasil. 

A decisão se o vídeo da reunião será divulgado integralmente ou não compete ao ministro do STF Celso de Mello. 

Fonte: Brasil 247 – Foto: Divulgação/ Marcos Corrêa/PR