Washington Quaquá recua de boicote e defende aliança com Freixo no Rio – Hora do Povo

O vice-presidente nacional do PT, Washington Quaquá, decidiu nesta quinta-feira (4) retirar seu recurso pedindo o rompimento da aliança com o PSB em torno da candidatura do deputado federal Marcelo Freixo para o governo do Estado do Rio de Janeiro.

Quaquá agora defende que a militância seja liberada para apoiar outros candidatos no estado. Ele retirou o recurso depois que a executiva nacional do PT optou por aguardar a decisão para aguardar a definição do PSB sobre a candidatura do deputado federal Alessandro Molon (PSB) ao Senado.

Para o PT o lançamento da candidatura de Molon, quebra o acordo firmado entre a sigla e o PSB, que previa a definição de um único candidato da chapa para o senado. O indicado pelo PT seria o presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano, que além de ser menos bem avaliado nas pesquisas de intenção de voto que Molon, ainda tem flertado constantemente com o governador Claudio Castro (PL), e o bolsonarismo fluminense.

“No Rio não pode haver interesse individual ou de grupo que se sobreponha ao objetivo principal, que é isolar o bolsonarismo nos seus 25% a 30% e ampliar a campanha do Lula. As últimas divergências ocorridas em relação ao acordo feito e descumprido pelo PSB não podem prejudicar o principal”, escreveu Quaquá.

“Por isso encaminho à direção nacional do PT a retirada de meu recurso e solicito que seja dada a orientação para a militância de que, mesmo tendo dado o apoio formal do PT à chapa do PSB, que se busque ao máximo ampliar o palanque do presidente Lula, no estado, ampliando nossa campanha e isolando o bolsonarismo.

“Relatos indicam que na reunião da executiva nacional desta quinta havia sinais de que a maioria era favorável à manutenção do apoio a Freixo. A sigla vinha sendo pressionada a manter a aliança, apesar do impasse, pois Molon é melhor avaliado nas pesquisas e atende mais aos anseios do eleitorado.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) afirmou que Freixo é um defensor dos direitos humanos e que combate as milícias. Na avaliação da parlamentar, seria negativo para os setores progressistas abandonassem a candidatura do deputado.

Em meio a isso, ontem, a executiva nacional do PSB decidiu que Molon ficará sem recursos do fundo eleitoral para a sua candidatura ao Senado no Rio caso decida não abandonar a disputa em favor da candidatura de Ceciliano. Caberá ao ex-governador Márcio França, tesoureiro do partido, comunicar a decisão, o que ainda não ocorreu.

Porém, diferente da tentativa de boicote do PT no Rio, a federação formada por Psol e Rede decidiu apoiar as candidaturas de Marcelo Freixo (PSB) para o governo do Estado do Rio de Janeiro e de Alessandro Molon (PSB) para o Senado.

A deputada Talíria Petrone, presidente da federação Psol-Rede no Rio, afirmou que a decisão pelo apoio a Molon foi política e com objetivo de derrotar o bolsonarismo no Estado.

“Abrimos mão de candidaturas próprias em nome da unidade em torno dos candidatos com mais chances de derrotar o bolsonarismo. Nossa aposta no Molon é política. Ele, além de estar à frente nas pesquisas, não titubeia diante do governador Cláudio Castro, ex-vice do Witzel e aliado de Bolsonaro”, disse a deputada.

O diretório estadual do Cidadania no Rio de Janeiro anunciou nesta terça-feira o apoio à candidatura de Alessandro Molon (PSB) ao Senado.

“O diretório, preocupado com a grave crise que atravessa o Rio de Janeiro, impondo a necessidade de termos um representante de qualidade e força política no Senado, recebeu para um amplo debate interno os pré-candidatos (…) que, ao entender do partido, apresentam as melhores condições de defender os interesses do Rio e, ainda, revelam uma maior afinidade ideológica e sintonia com o campo democrático no qual o Cidadania se inscreve”, diz o diretório.

Famosos declararam apoio à pré-candidatura do deputado federal Alessandro Molon (PSB) ao Senado, em meio à polêmica entre PT e PSB no Rio de Janeiro.

Molon usou as redes sociais para agradecer ao apoio público de famosos, como Anitta, Marcos Palmeira, Caco Ciocler, Léo Jaime, Cissa Guimarães, Natália Lage e Elisabeth Savalla. Eles gravaram vídeos de apoio ao candidato que foram compartilhados no Twitter.

Na terça-feira (2), o candidato perguntou no Twitter se a cantora Anitta apoiava a candidatura dele. “Lança logo essa candidatura, homi”, respondeu a cantora. “Pois eu voltei do retiro espiritual achando que já tinha um candidato para votar… tô te esperando”, escreveu a Anitta em resposta a Molon.

Muito obrigado pelo seu apoio à nossa pré-candidatura ao senado, @danielamercury! ❤️ pic.twitter.com/gaMmax3kaa

— Alessandro Molon 🇧🇷 (@alessandromolon) August 4, 2022

Fonte: horadopovo.com.br/washington-quaqua-recua-de-boicote-e-defende-alianca-com-freixo-no-rio