Polícia de Brasília desmonta QG de bandos que querem implantar ditadura no Brasil

O governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), já tinha mandado desmontar o acampamento de grupos fascistas que ocuparam a Praça dos Três Poderes

A Polícia Civil do Distrito Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em um dos pontos de apoio de grupos bolsonaristas conhecidos como “300 do Brasil”, “Patriotas” e “QG Rural”. A ação ocorreu em uma chácara localizada na região de Arniqueiras, no Distrito Federal, a cerca de 25 km do centro de Brasília.

Os grupos são investigados por atos como os ataques simulados ao edifício do Supremo Tribunal Federal (STF) com fogos de artifício na noite do dia 13 de junho, horas após a Polícia Militar do DF desmantelar os acampamentos bolsonaristas na Esplanada dos Ministérios.

.A polícia informou que foram apreendidos fogos de artifício, manuscritos com planejamento de ações e discursos, cartazes, aparelhos de telefone celular, um facão, um cofre e outros materiais destinados a manifestações. O cofre ainda será aberto, de acordo com os investigadores. Na chácara, havia duas casas e barracas instaladas.

O imóvel contava com câmeras de segurança que cobriam toda a sua extensão. A operação é parte de uma investigação da Polícia Civil sobre a prática de supostos crimes de milícia privada, ameaças e porte de armas atribuídos ao grupo. Trinta policiais da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor) participaram da ação.

Integrantes do autointitulado “300 do Brasil” foram presos, entre eles Sara Giromini, conhecida como Sara Winter (nome de uma espiã nazista e amiga de Hitler) nas redes sociais. Ela fez ameaças diretas a integrantes do Supremo Tribunal Federal e teve a prisão efetivada em outra investigação, a pedido do Ministério Público Federal atendido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no inquérito sobre organização de atos antidemocráticos.

Fonte: horadopovo.com.br – Foto: PCDF

Coronavírus em Tempo Real