Movimentos sociais confirmam atos contra Bolsonaro em 200 cidades no 24 de julho – Hora do Povo

No Masp, o início da manifestação de sábado, 3 de julho. Foto: Miguel SCHINCARIOL – AFP

Movimentos sociais, estudantis, sindicais e partidos de oposição a Jair Bolsonaro convocaram uma grande manifestação nacional. Os protestos já foram marcados em 200 cidades brasileiras para o próximo sábado, 24 de julho. 

Assim como ocorreu nas duas manifestações anteriores, como em 29 de Maio e 19 de Junho, os movimentos exigem a aceleração da vacinação contra o novo coronavírus, contra os cortes na educação e ciência e o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia. Ainda, os manifestantes querem aumentar ainda mais o clamor para a derrubada de Bolsonaro, com o seu Impeachment, pressionando a Câmara dos Deputados.

Centenas de milhares dessas mortes poderiam ter sido evitadas, lamentam as entidades. “Só o povo em massa nas ruas vai impedir que se concretizem as aventuras autoritárias que o presidente tem insinuado, como a de que pode impedir a realização das eleições de 2022 ou não aceitar o resultado das urnas eletrônicas em caso de derrota”, afirma a nota da Campanha Nacional Fora Bolsonaro.

A ida às ruas se tornou inevitável diante das denúncias de corrupção do governo Bolsonaro na compra de vacinas reveladas pela CPI da Covid, em curso no Senado.

“As manifestações por ‘Fora Bolsonaro’ realizadas em 29 de maio, 19 de junho e 3 de julho marcaram a retomada dos atos de massa no Brasil e uma nova etapa da Campanha Fora Bolsonaro, iniciada em 2020. São uma emergência necessária, mesmo em meio a pandemia, diante de um governo criminoso que ataca a democracia, a soberania, os direitos e promove a morte e a destruição do país”, ressalta a nota da Campanha.

Em São Paulo, um dos principais focos das manifestações nacionais, as concentrações ocorrerão por toda a Avenida Paulista. Diversos pontos de encontro ao longo da avenida que reunirão estudantes, sindicalistas, partidos políticos e movimentos sociais no Vão do MASP, no Conjunto Nacional e na Fiesp.

Partidos e entidades do movimento social, estudantil e sindical divulgaram o manifesto do Bloco Democrático para as manifestações pelo Brasil. As organizações se encontram a princípio no Conjunto Nacional em São Paulo. 

A nota do Bloco enfatiza o descaso e os crimes que Bolsonaro vem cometendo com a população brasileira, principalmente nos casos que vieram à tona com a CPI da Covid. Ainda, as entidades atestam a mediocridade e o autoritarismo que Bolsonaro vem entoando em seu discurso contra a democracia.

“Ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e  busca, inequivocamente, as condições para a imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas”.

“Não é a primeira vez que o Brasil enfrenta essa ameaça. Já assistimos a esse filme e sabemos o caminho para derrotar o arbítrio. É hora de unir os brasileiros, independente de colorações partidárias e ideológicas, na defesa intransigente da democracia. É preciso, ainda, apoiar as demandas sociais pelo auxílio emergencial de $600, vacina para todos já, contra a carestia e política ativa de geração de empregos de qualidade”, diz a nota.

Confira a nota na íntegra:

24 de Julho – #24J – Dia de unir o país em defesa da democracia, da vida dos brasileiros e do Fora Bolsonaro

O Brasil vive uma das maiores tragédias da sua história, com a perda de 540 mil vidas para a pandemia do Covid 19. Nesse difícil momento, a ação do governo federal tem sido marcada de maneira criminosa pela irresponsabilidade e descaso com a defesa da vida do nosso povo, atacando a ciência e sabotando a vacinação, usando o momento de dor e perda por que passamos como uma oportunidade para ações corruptas, reveladas pela CPI da pandemia. 

Ao mesmo tempo em que sabota todos os esforços da sociedade para vencer o coronavírus, Bolsonaro ataca diariamente o regime democrático brasileiro e  busca, inequivocamente, as condições para a imposição de um regime autoritário que destrua as instituições republicanas para acabar com as liberdades democráticas. 

Não é a primeira vez que o Brasil enfrenta essa ameaça. Já assistimos a esse filme e sabemos o caminho para derrotar o arbítrio. É hora de unir os brasileiros, independente de colorações partidárias e ideológicas, na defesa intransigente da democracia. É preciso, ainda, apoiar as demandas sociais pelo auxílio emergencial de R$ 600, vacina para todos já, contra a carestia e política ativa de geração de empregos de qualidade.

Por isso convidamos a todos para vir à Avenida Paulista, no dia 24 de julho. Estaremos com as nossas bandeiras do Brasil, em frente ao Conjunto Nacional, a partir das 15 horas.

Assinam o texto:

ACREDITO,

AGORA,

Central de Sindicatos Brasileiros (CSB),

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB),

Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB),

Confederação das Mulheres do Brasil (CMB),

Derrubando Muros,

Federação das Mulheres Paulistas – FMP,

Federação dos Bancários de São Paulo,

Força Sindical,

Juventude Pátria Livre (JPL),

Juventude Socialista do PDT de São Paulo (JS),

Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST),

Pública Central do Servidor,

União Geral dos Trabalhadores (UGT),

União da Juventude Socialista (UJS),

União Municipal de Estudantes Secundaristas (UMES),

União Nacional dos Estudantes (UNE),

CIDADANIA,

PV,

PCdoB,

PDT,

PSB,

PSDB,

REDE SUSTENTABILIDADE,

SOLIDARIEDADE.

Confira locais com atos já confirmados:

Alagoas

Amapá

Bahia

Ceará

Distrito Federal

Espírito Santo

Goiás

Maranhão

Mato Grosso

Mato Grosso do Sul

Minas Gerais

Pará

Paraíba

Paraná

Piauí

Pernambuco

Rio de Janeiro

Fonte: horadopovo.com.br/movimentos-sociais-confirmam-atos-contra-bolsonaro-em-200-cidades-no-24-de-julho