Ibovespa ameniza queda para menos de 2% com permanência de Guedes – BizNews Brasil :: Notícias de Fusões e Aquisições de empresas

O ameniza o movimento de queda nesta sexta-feira, 22, com o mercado experimentando certo alívio após a notícia de que o Ministro da Economia, Paulo Guedes, deve permanecer no cargo.

O principal índice da B3 recua 1,78% às 15h, operando aos 105.982 pontos. Na mínima do dia, o Ibovespa chegou a cair 4,53%, aos 102.854 pontos.

A queda de hoje aprofunda as perdas da véspera, em meio ao que muitos já classificam como uma “guinada populista” do governo de Jair Bolsonaro. 

Na última noite, a insistência por medidas que ameaçam a sustentabilidade fiscal do país levou à saída de quatro secretários do Ministério da Economia. Pediram demissão o secretário Especial do Tesouro e Orçamento, e Jeferson Bittencourt, secretário do Tesouro Nacional, e seus respectivos secretários adjuntos. 

Após a debandada, começaram as especulações de que o próprio Guedes abandonaria o barco. No início da tarde, porém, a Bloomberg noticiou que o ministro decidiu permanecer no cargo.

Mais cedo, os temores sobre a saída do principal nome econômico do governo levou o mercado a reduzir as posições em brasileira e aumentar a proteção em dólar, levando a moeda americana a superar os 5,70 reais. Com a notícia da permanência do ministro, a moeda americana perdeu força e, às 15h, o dólar apresenta leve alta de 0,07%, a 5,672 reais.

A queda da bolsa contrasta com no exterior, onde as bolsas da Europa fecharam em alta. Nos Estados Unidos, porém, o S&P 500 e o Nasdaq recuam com as falas do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, sobre retirada de estímulos.

Precatórios no radar

Pouco após a debandada na equipe do ministro Paulo Guedes, na última noite, a comissão especial da Câmara aprovou o texto da PEC dos Precatórios, em que também foi inserida mudanças nas regras do teto, que deve passar a ser reajustado com base no IPCA acumulado entre janeiro e dezembro, e não mais no período de 12 meses findos em junho.

Com o novo cálculo, que é retroativo, será aberto um espaço de 39 bilhões de reais no Orçamento de 2022, segundo a Folha de S. Paulo. Mais 44 bilhões de reais devem ser retirados, com o adiamento de pagamento de parte dos precatórios, abrindo espaço para o desejo político do presidente Jair Bolsonarode distribuir, no mínimo, 400 reais por família beneficiária do novo Bolsa Família.

O cenário conturbado tem causado duras perdas aos acionistas Petrobras (PETR3/PETR4), que sofre pressões sobre sua política de preços. Embora tenha previsto novos aumentos no preço do combustível, em live, o presidente Bolsonaro defendeu auxílio de 400 reais também para os caminhoneiros. A proposta, no entanto, não agradou a categoria, que se organiza para novas greves. A preocupação é de que a Petrobras seja a próxima vítima em meio às tentativas do presidente reestabelecer sua popularidade. Com a segunda maior participação do Ibovespa, as da Petrobras recuam quase 3%.

Com a maioria das ações operando em queda nesta sexta, as principais altas do dia são lideradas por empresas exportadoras, que tendem a se beneficiar da valorização do dólar. Na ponta do índice, as ações da Suzano (SUZB3), de papel e celulose, sobem mais de 7,34%, enquanto sua principal concorrente no país, a Klabin (KLBN11), avança 7,24%.

Investidores também retomam as apostas no setor de mineração e siderurgia, mesmo após o minério de ferro fechar em queda na China. Com o maior peso do Ibovespa, as ações da Vale (VALE3) avançam 1,42%, reduzindo as perdas do índice

Na ponta negativa, grande parte das ações do Ibovespa caem mais de 7%, sendo as maiores perdas as de empresas ligadas à atividade econômica local, como varejistas, empresas de educação, turismo e shoppings.

As ações do Banco Inter (BIDI11), com alguns dos maiores múltiplos da bolsa, também apresenta forte desvalorização, chegando a cair mais de 7% em meio à abertura das curvas de juros.

Na bolsa, o juro (DI) com vencimento em 2025 dispara mais de 7%, enquanto o DI de 2031 já precifica um juros na casa dos 13%. A ponta curta também passa por ajustes, com o mercado precificando um aperto monetário mais duro por parte do Banco Central.

Fonte: Exame

Fonte: www.biznews.com.br/ibovespa-ameniza-queda-para-menos-de-2-com-permanencia-de-guedes