ABI compara proibição de exibição de documentos com ações da ditadura

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) também se manifestou a decisão de uma juíza que proibiu que documentos da investigação sobre Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) sejam publicados pela Rede Globo. A entidade comparou a decisão com as ações de censura que existiam durante a ditadura militar.

“Parece estar se tornando praxe no país a censura à imprensa, tal como existia no tempo da ditadura militar e do AI-5”, diz a ABI. “É mais um atropelo à liberdade de expressão. É urgente que o STF restabeleça o império de lei.”

O primogênito de Jair Bolsonaro é investigado por supostas “rachadinhas” em seu gabinete enquanto deputado estadual fluminense. Em seu manifesto, a ABI também lembra a pergunta que fez o presidente da República ameaçar dar um soco em um jornalista. “A propósito, sabe-se que os recursos da chamada ‘rachadinha’ alimentaram vultosos depósitos na conta da primeira-dama. Por isso, cabe mais uma vez a pergunta, ainda não respondida pelo presidente da República: Afinal, por que Fabrício Queiroz depositou R$ 89 mil na conta bancária de Michele Bolsonaro?”

Fonte: brpolitico.com.br/noticias/abi-compara-proibicao-de-exibicao-de-documentos-com-acoes-da-ditadura

Coronavírus em Tempo Real