A voz do milênio, Elza Soares falece aos 91 anos – Hora do Povo

Cantora faleceu em casa nesta quinta-feira – Foto: Divulgação

Morreu na tarde desta quinta-feira (20) no Rio de Janeiro, a cantora Elza Soares aos 91 anos. O falecimento da cantora, que foi eleita pela BBC de Londres ‘A voz do milênio’ na virada de 1999 para 2000, foi comunicado pela sua assessoria:

“É com muita tristeza e pesar que informamos o falecimento da cantora e compositora Elza Soares, aos 91 anos, às 15 horas e 45 minutos em sua casa, no Rio de Janeiro, por causas naturais”.

“Ícone da música brasileira, considerada uma das maiores artistas do mundo, a cantora eleita como a Voz do Milênio teve uma vida apoteótica, intensa, que emocionou o mundo com sua voz, sua força e sua determinação.”

“A amada e eterna Elza descansou, mas estará para sempre na história da música e em nossos corações e dos milhares fãs por todo mundo. Feita a vontade de Elza Soares, ela cantou até o fim.”

Elza Gomes da Conceição é considerada uma das maiores cantoras da música brasileira, com carreira no samba que começou no final dos anos 50. O início veio como parte da cena do sambalanço com “Se acaso você chegasse”, em 1959.

Elza Soares nasceu em 1937, na favela Maria Bonita, no Rio de Janeiro. Filha de um operário e de uma lavadeira, lutou para sobreviver antes de ser reconhecida como grande artista. Aos 12 anos, foi obrigada pelo pai a se casar e, um ano depois, teve o seu primeiro filho, João Carlos.

Ao todo, Elza deu à luz a nove crianças. Cinco delas morreram – três de fome. A sua carreira teve início aos 16 anos, em 1953, quando participou do programa “Calouros em desfile”, de Ary Barroso, na Rádio Tupi, e ganhou o primeiro lugar. Com a visibilidade, ela conseguiu um emprego como crooner na Orquestra Garam de Bailes, do maestro Joaquim Naegli.

O seu primeiro disco de estúdio, “Se acaso você chegasse”, foi lançado logo após ela retornar ao Brasil, em 1959, pela Odeon. Com o sucesso da música-título, composta por Lupicínio Rodrigues, ela começou a ganhar reconhecimento e fama pelo Brasil. A sua vida, porém, mudaria, definitivamente, em 1962.

Representando o Brasil na Copa do Mundo no Chile, ela conheceu Garrincha, com quem viveu um romance intenso e conturbado. Os dois se casaram em 1966 e só se separaram em 1982. Curiosamente, Elza nos deixa no mesmo dia em que morria o ex-marido,  Garrincha, há 39 anos.

A promessa de “Cantar até o fim”, estampada em seu último e grandioso disco foi cumprida. Elza seguia fazendo shows até antes da pandemia da Covid-19 e ainda em cantou em lives ao longo de 2020 e 2021. Ela estava produzindo um novo álbum de estúdio e chegou a iniciar uma nova turnê – a “Onda Negra”, ao lado do rapper Renegado. Nesta semana, ela também se apresentou em shows no Theatro Municipal de São Paulo que foram gravados para o lançamento de um DVD.

O cantor lamentou a partida da amiga e parceira:

“Você não me preparou pra esse momento!Me acolheu me deu amor e carinho…Me mandou seguir em frente, mas não me preparou pra despedida.Recebi a sua partida na quadra da mocidade, sua escola que agora é minha.Cantaram pra você, eu chorei.Me desculpa, não consegui cantar, não estou preparado pra me despedir, apenas chorei.Vou te carregar no meu coração! Só tenho a agradecerTe amo Elza”

Fonte: horadopovo.com.br/elza-soares-falece-aos-91-anos