Facebook lança ajustes pensando nas eleições americanas de 2020

O Facebook divulgou nesta segunda-feira (21) um novo conjunto de ferramentas e mudanças visuais com a intenção de combater a disseminação de fake news na rede social, passando a rotular com mais clareza as postagens falsas e o conteúdo criado pelo governo. A intenção é proteger as eleições americanas de 2020 de interferências como as ocorridas no pleito de 2016, e devido ao fato de que a empresa encontrou e removeu quatro operações de desinformação financiadas por Estados.

Três das operações vieram do Irã e uma delas da Rússia, afirmou o Facebook. As publicações dessas campanhas de desinformação atingiram pessoas no norte da África, na América Latina e nos EUA. A rede social disse que a remoção aconteceu baseada no método de operação e não no conteúdo das postagens — as pessoas por trás dessas campanhas usavam contas e páginas falsas no Facebook e no Instagram.

Confira as principais novidades que começam a aparecer no próximo mês:

  • A nova ferramenta Facebook Protect dará atenção especial para os acessos de contas de candidatos, verificando tentativas de login em locais incomuns ou por meio de dispositivos não verificados.
  • Páginas passam a disponibilizar informações sobre o proprietário por meio de uma nova guia denominada “Organizações que gerenciam esta página”, que inclui o nome de quem administra o conteúdo, a cidade de origem, um número de telefone e um site oficial.
  • Agências de notícias consideradas totalmente ou parcialmente sob o controle editorial de governos serão marcadas com um selo escrito “mídia controlada pelo Estado”.
  • Uma nova ferramenta de rastreamento vai permitir que os usuários vejam quanto os candidatos à presidência dos EUA estão gastando no Facebook, e também será possível que pesquisadores acessem os dados de publicidade de candidatos para realizarem estudos.
  • A inclusão de uma tarja de aviso em fotos e vídeos falsos, ou “parcialmente falsos”, inclusive nos publicados por meio da ferramenta Stories do Instagram (que também mostrará links para sites de verificação de informações). Se as pessoas tentarem compartilhar as postagens no Instagram que forem classificadas como falsas, o Facebook exibirá um pop-up indicando se tratar de algo falso.

Fonte: veja.abril.com.br/tecnologia/facebook-lanca-ajustes-pensando-nas-eleicoes-americanas-de-2020