Muros da Gávea são pichados com críticas a Landim após anúncio de transmissão

Parte dos negros-negros alega falta de condição financeira na função de pandemia de novo coronavírus. Sem permissão de público nos Estados Unidos, eles esperam que o clube possa fazer mais por hora aproximada do torcedor.

Gazeta Press

Os muros da Gávea, sede social do Flamengo, foram encontrados na madrugada de sexta-feira para sábado. O presidente Rodolfo Landim foi o alvo do protesto flamenguista, sendo chamado de ganancioso.

Uma revolta do torcedor dá horas após o anúncio de Landim que os torcedores não fazem parte do programa do sócio-torcedor que paga R $ 10,00 para acompanhar a transmissão da semifinal do Taça Rio, antes do Volta Redonda, no próximo domingo.

“Fora Landim ganancioso” e “o Flamengo é do povo!” foram as mensagens.

(Crédito da imagem: Reprodução)

A decisão de cobrar dos associados não repercutiu bem entre flamenguistas. Depois de bater os registros de audiência na partida contra o Boavista na última quarta, os torcedores esperam por uma nova transmissão gratuita no FlaTV, depois do rompimento da TV Globo com o Campeonato Carioca. O pico de audiência durante o jogo foi de 2,1 milhões de pessoas simultâneas.

Parte dos negros-negros alega falta de condição financeira na função de pandemia de novo coronavírus. Sem permissão de público nos Estados Unidos, eles esperam que o clube possa fazer mais por hora aproximada do torcedor.

Coronavírus em Tempo Real