Fifa pode obrigar jogadores em final de contrato a ficarem em seus clubes

Fifa poderá colocar em prática uma medida de emergência para evitar, ou pelo menos adiar, as transferências de jogadores em final de contrato. Segundo o jornal britânico The Times, a entidade classifica a pandemia de coronavírus como motivo de força maior, que lhe daria o poder de determinar que os atletas permaneçam nos clubes que defendem atualmente. A determinação valeria até o final da presente temporada, que está suspensa e sem data de retorno, atingiria também aqueles jogadores já estão acertados com outros times.

A medida pode afetar jogadores como o brasileiro Willian, cujo vínculo com o Chelsea, da Inglaterra, acaba em junho. O adiamento dos campeonatos nacionais e internacionais, porém, farão com que o meia, especulado no Bayern de Munique, permaneça em Londres até a data final das competições do Chelsea, que ainda não foi estabelecida, por causa das incertezas com relação ao fim da quarentena e da pandemia. O time londrino também teria a chegada do meia marroquino Hakim Ziyech, já acertada com o Ajax, adiada.

“A Fifa, sim, tem a prerrogativa de fazer isso em caso de um evento de força maior que impeça a continuidade das disputas. Me parece ser esse o caso atual, afinal, desde a Segunda Guerra Mundial não havia uma paralização total do futebol”, diz o advogado Rafael Botelho, sócio do escritório de direito desportivo PVBT. “O pressuposto básico por trás dessa medida é o principio da boa fé. Quando jogador assina um contrato até o mês correspondente ao final do campeonato, é cristalino que o clube espera que ele jogue a temporada toda.”

O Campeonato Inglês, a princípio, está adiado até o dia 30 de abril, mas o país acaba de entrar em quarentena e o prazo de retorno de sua principal competição de futebol deve ser estendido. A Liga dos Campeões e a Liga Europa estão suspensas por tempo indeterminado. A remontagem do calendário depende da estagnação do avanço do coronavírus e pode ser um problema para as equipes, que precisam das cotas milionárias de televisão para manter as contas em dia.

No Brasil, a suspensão da temporada tem sido um problema para os clubes, que não têm renda entrando e precisam pagar seus funcionários. A Federação Nacional dos Atletas de Futebol Profissional (Fenapaf) recusou no início desta semana um acordo de redução de 25% do salários dos atletas, proposta pela Comissão Nacional dos Clubes (CNC). Na Europa, jogadores estão reduzindo seus salários de forma voluntária, como no Bayern e Borussia Dortmund, para ajudar as equipes a pagar as contas.

Fonte: veja.abril.com.br/ – Foto: Danehouse/Getty Images

Coronavírus em Tempo Real