Espancado na Rua da Morte: “Quem mora em lugar perigoso tá acostumado”

“Uma noite em que temi pela minha vida.” Essas foram as palavras encontradas pelo jovem espancado em um assalto, na madrugada do dia 1º de abril, para definir o momento de terror que sofreu nas mãos dos bandidos. Na ocasião estava com um colega, quando foram roubados – e ele, surrado – na Quadra 33, Lote 4, do Paranoá. Ao Metrópoles, disse que percebeu a aproximação dos criminosos e tentou fugir. “Vi que eles já estavam me seguindo, entrei em uma rua para tentar despistar. Mas eles apressaram o passo e logo nos alcançaram”, contou. O local em que os amigos entraram na tentativa de se safarem da ameaça, no entanto, é conhecido como Rua da Morte. Lá, uma das vítimas foi espancada e esfaqueada durante a ação criminosa. O assalto acabou sendo registrado por câmeras de segurança de casas vizinhas (veja abaixo).   As imagens mostram o momento em que os dois homens são abordados no beco e assaltados. Um deles fica caído no chão. De acordo com a vítima, nesse momento, ele teria desmaiado. “Fiquei desacordado por 20, 25 minutos. Na hora, nem senti que ele tinha me dado uma facada. Estava muito assustado, mas quem mora em lugar perigoso tá acostumado. Não espera que vá acontecer, mas está acostumado”, lamentou. Ele teria sido agredido após resistir ao assalto: “Levei chutes, socos, pontapés e uma facada”. Depois do ataque, a vítima se recorda apenas de ter acordado no Hospital Regional do Paranoá (HRPa). O amigo que o acompanhava conseguiu fugir. O caso está registrado e é investigado pela 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá). A Polícia Civil do Distrito Federal solicitou a divulgação das imagens para que os suspeitos do crime sejam localizados. Denuncie As denúncias de casos de agressão podem ser feitas por estes canais: pelo telefone 197; por meio do site da Polícia Civil; pelo e-mail [email protected]; ou pelo WhatsApp: (61) 98626-1197. As denúncias são sigilosas.  

Fonte: www.metropoles.com/distrito-federal/seguranca-df/espancado-na-rua-da-morte-quem-mora-em-lugar-perigoso-ta-acostumado