Feomércio: junho apresentou o maior endividamento do teresinense

Por Nonato Paz – Assessor Econômico do Intituto Fecomércio

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) realizada em Teresina pela FECOMERCIO –PI em parceria com a Confederação Nacional do Comércio revela que o percentual de famílias que declararam ter dívidas com cartão de crédito, carnê de lojas, cheques pré datados, cheque especial, empréstimo pessoal, financiamento de carro e casa e seguro atingiu 65,6% em junho de 2020. Esse resultado foi superior em 6,8 pontos percentuais sobre o valor alcançado no mês anterior que foi de 58,8%. Com relação a junho de 2019 em que o percentual foi de 51,0% houve um crescimento de 14,6 pontos percentuais, o maior crescimento de toda a série histórica desde 2010. A proporção das famílias que se declararam muito endividadas ficou em 11,6%, e a parcela que declarou mais ou menos endividadas atingiu 23,9% do total dos endividados.

endiva123
lotéricas loterias caixa GABRIELA BILO ESTADAO 300x198

As famílias com dívidas ou contas em atraso apresentou alta de 1,7 pontos percentuais na comparação mensal, passando de 13,2% em maio para 14,2% em junho de 2020. Deste, apenas 34,0% disseram que estavam prontos para quitar todos os seus débitos atrasados. Com relação ao mês de junho de 2019 houve uma alta de 24,17 pontos percentuais nas contas atrasadas, uma vez que naquele mês alcançou o índice de 12%. Já no grupo com Renda Superior a 10 salários mínimos o percentual de atrasos nas contas alcançou 10,1 % em junho deste ano, superior aos 7,4% de maio. Esse aumento de atraso nos pagamento neste meio de ano foi devido a pandemia do novo corona vírus que deixou as famílias isoladas nas suas casas.

O percentual de famílias que relataram não ter condições de pagar os suas dívidas em atraso, aumentou de 3,1% para 4,2%. Para o grupo com Renda de até 10 salários mínimos, o percentual de famílias sem condições de quitar seus débitos passou de 3,3% para 4,5% de maio para junho. Já as famílias mais abastadas, ou seja, aquelas que ganham acima de 10 salários mínimos a Pesquisa não apontou inadimplência no mês de junho.

Por outro lado 71,8% dos entrevistados declararam estar atrasados em até 90 dias o que corresponde em média 54,1 dias de atraso.

O tempo médio de comprometimento com dívidas entre as famílias Endividadas foi de 7,3 meses , sendo que 23,0% delas estão comprometidas com dívidas de até 3 meses e 36,7% por mais de um ano.

O cartão de crédito foi apontado como o principal tipo de dívidas por 89,0% das famílias endividadas e carnês de lojas com 18,6%, seguido de Financiamento de Carro com 18,6%, Financiamento de casa com 6,0% e Crédito Consignado com 2,2%. O levantamento também apontou para as dívidas de quem fatura acima de 10 salários mínimos na Capital piauiense: cartão de crédito, 88,7%, carnês de lojas 24,2%%, financiamento de carro,21,0% e Financiamento de Casa com 4,8%

O consumidor opta pelo cartão por causa de sua facilidade de parcelamento das compras, entretanto, muitos utilizam o cartão sem critério e terminam entrando numa bola de neve. Para o cartão ser uma ferramenta maravilhosa é preciso saber usá-lo, não gastar com produtos que não está precisando e nem comprometer mais de 30% do que ganha com dívidas, pois se entrar no rotativo, normalmente tem dificuldade de sanar o que fica devendo. Outro conselho dado pelo Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Piauí, Valdeci Cavalcante é que a fatura do cartão deva ser pago em dia e no total.

Coronavírus em Tempo Real