Entidade pede que Cade investigue ato de concentração da TBForte | Radar

A Fenaval (Federação Nacional das Empresas de Transporte de Valores) ingressou com uma ação no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para apuração de ato de concentração praticado pela empresa TBForte na negociação com a Servisan, do Grupo Assis Forte. De acordo com a representação da Fenaval, a operação de aquisição já foi consumada e ocultada ao Cade pela empresa TBForte.

A TBForte diz que ainda não foi notificada oficialmente sobre o assunto. “Certamente, as declarações da Fenaval, que vem atacando indevidamente a TBForte há anos, não possuem qualquer fundamento jurídico e legal, como tantas outras que já nos foram imputadas”, argumenta a empresa em nota.

As informações encaminhadas ao Cade pela Fenaval foram extraídas de documentos oficiais protocolados pela Servisan nos autos do pedido de sua recuperação judicial. Entre os documentos consta o “Contrato de Locação com Compromisso de Venda e Compra”, celebrado em 31 de agosto de 2017, formalizando o acordo entre as partes na aquisição de ativos – sem notificação prévia ao Cade – e a petição da Servisan ao juiz de falência para liberação de venda de carros-fortes à TBForte. A Servisan atua nos estados do Piauí, Amapá e Rondônia e, em 2016, registrou faturamento superior a R$ 145 milhões.

Fonte: veja.abril.com.br/blog/radar/entidade-pede-que-cade-investigue-ato-de-concentracao-da-tbforte