Sintetro descarta possibilidade de greve dos ônibus em Teresina

Nesta sexta-feira (20), o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro), Antônio Cardoso, afirmou ao Viagora que não existe mais a possibilidade dos motoristas e cobradores de ônibus realizarem uma paralisação no transporte público de Teresina.

De acordo com o presidente, a categoria aguardava o pagamento salarial e os documentos comprobatórios de que o repasse havia sido feito por parte das empresas de ônibus. Antônio Cardoso explica que os empresários alegavam falta de repasse do dinheiro pela prefeitura.

Foto: Luis Marcos/ Viagora

Circulação dos ônibus em Teresina
Circulação dos ônibus em Teresina
Circulação dos ônibus em Teresina

“Já não existe mais [possibilidade], já foi feito o repasse. Nós estávamos apenas aguardando a documentação que comprovasse que eles tinham feito o repasse. Só que nós não temos nada a ver com isso, são tudo eles lá. O major mandou para mim dizendo que tinha feito o repasse do pagamento que eles estavam cobrando, porque a gente trabalha para viver, nós não temos nada a ver com a Strans e nem com a prefeitura”, explica o trabalhador.

Antônio Cardoso explica ainda que as empresas haviam publicado no mural que não realizariam o pagamento aos trabalhadores e por isso a categoria estudava uma forma de se manifestar sobre a ausência do repasse, se a melhor forma seria uma paralisação, greve ou manifestação. A possibilidade foi descartada com o pagamento da categoria.

“O major mandou para mim dizendo que tinha feito o repasse do pagamento que eles estavam cobrando, porque a gente trabalha para viver, nós não temos nada a ver com a Strans e nem com a prefeitura, nós queremos que o judiciário tome conta dessa situação, será que todo pagamento será dessa forma? quando chegar o dia de pagamento eles não vão querer pagar porque dizem que a prefeitura não paga? A gente tinha uma Assembleia com os trabalhadores para decidir qual seria o rumo que tomaríamos com relação a isso, se seria greve, paralisação, manifestação ou operação tartaruga, mas a gente não sabia porque eles tinham o dia todo para pagar só que muitas já tinham colocado no mural que não pagariam. Então nós fomos atrás das empresas e dos empresários e eles dizem que é porque a prefeitura não tinha feito o repasse. Só que eles disseram que era repasse de dividas passadas o novo que foi feito agora no TRT eles não tinham pagado, mas o pagamento foi feito já hoje”, explica Antônio Cardoso.

Diante da ausência de cumprimento do acordo firmado entre a categoria e o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) o presidente do sindicato pontua que a categoria já recorreu ao Ministério Público do Piauí e uma audiência já está marcada para o dia 31 deste mês.

“Não estão cumprindo porque ainda há muitas irregularidades, mas eles pediram um prazo porque afirmam que estão saindo de uma pandemia e estão voltando ao normal. Nós tínhamos esse acordo em um prazo mínimo, mas mesmo assim a gente tinha dado entrada no Ministério Público com relação a essas irregularidades e agora está marcado uma audiência para o dia 31. Então não existe mais essa possibilidade de paralisação.

Fonte: www.viagora.com.br/pi/piaui/noticia/2022/5/20/sintetro-descarta-possibilidade-de-greve-dos-onibus-em-teresina-96099.html