Piauí desmatou quase 190 hectares por dia em 2021, revela estudo do MapBiomas

Foto: Reprodução/Vinícius Mendonça/Ibama

O Piauí contabilizou cerca de 189 hectares de área desmatada por dia ao longo de 2021, é o que revela o mais recente Relatório Anual de Desmatamento (RAD) elaborado pelo projeto MapBiomas.

O estudo mostra que o estado totalizou mais de 69 mil hectares desmatados no ano passado. Em comparação com 2020, quando a extensão afetada foi de quase 56 mil hectares, o crescimento foi de 27%, o sétimo maior do país. 

Se considerada a série histórica a partir de 2019, ocasião em que o valor era de aproximadamente 42 mil hectares, o aumento do desmatamento no território piauiense ultrapassa os 62%. 

Caatinga

De acordo com o RAD, o maior desmatamento no bioma Caatinga em todo o país também foi detectado no Piauí, no município de Parnaguá, com um total de 1.269 hectares no ano passado. 

No relatório, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar-PI) informou que uma das áreas onde constam alertas de desmatamento não possuía autorização emitida pelo órgão até a finalização do relatório. 

Por sua vez, o laudo da plataforma MapBiomas indica que os cruzamentos de informações apontam que a área onde ocorreram os alertas corresponde a uma Reserva Legal.

Matopiba

Considerada uma das principais fronteiras agrícolas do país, o Matopiba, composto pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e a Bahia, concentrou 23% de toda a área desmatada no Brasil em 2021.

Foram 5.206 alertas e 391.559 hectares desmatados no ano passado, um aumento de 14% da área desmatada em relação a 2020. Além disso, a região acumulou 72% de toda área de supressão de vegetação nativa do Cerrado em 2021. 

Ao Cidadeverde.com, a Semar-PI pontuou que ainda está se apropriando e analisando os dados apresentados pelo relatório antes de manifestar sobre os dados, mas reiterou que tem realizado ações de combate ao desmatamento em todo o estado.

“Temos nossas ações de combate ao desmatamento e de fiscalização de acordo com o que é repassado nos alertas. Faremos o cruzamento das informações com o nosso banco de dados. O relatório mostra que houve um aumento se comparado com o ano passado, mas não sei ainda os valores exatos”, afirmou o secretário Daniel Marçal. 

Os dados que compõem o RAD mapeiam as mudanças no território brasileiro a partir de colaboração de  diversas universidades, ONGs e empresas de tecnologia.

Fonte: cidadeverde.com