Dr. Macaxeira é acusado de favorecer amigo em ação trabalhista

O Viagora recebeu uma denúncia relatando que a Prefeitura de Redenção do Gurgueia, administrada pelo prefeito Ângelo Sena, conhecido como Dr. Macaxeira, teria se recusado a firmar acordo judicial em uma série de ações trabalhistas por parte de ex-funcionários, impetradas desde o ano de 2017, tendo aceito o acordo em apenas duas dessas ações, movidas por um amigo e uma prima do gestor municipal.

Segundo o presidente do diretório municipal do PSC, advogado e pré-candidato, Marcos Rocha Amorim, oito ações trabalhistas foram impetradas por ele em face da administração municipal, e em nenhuma delas o prefeito aceitou firmar um acordo. Porém, em uma ação movida por Nilson Alves da Silva, o gestor aceitou o acordo proposto pelo ex-funcionário.

Prefeito Dr. Macaxeira
Prefeito Dr. Macaxeira

“Ocorre que, o município sofreu várias ações desde 2017. E o prefeito não fazia acordos com ninguém, inclusive ele falava que esse tipo de acordo era ilegal. Mas, ilegal ou não, ele celebrou esse único e exclusivo com esse seu amigo, o que nos remete ao indício de um favorecimento real. Eu mesmo ajuizei umas oito ações e ganhei todas e eles recorreram até no TST e perderam. E como falei, não fizeram acordos”, afirmou Marcos.

Na ação movida por Nilson Alves da Silva, inicialmente, o ex-servidor solicitava ao Poder Judiciário a expedição de medida liminar e determinação à Prefeitura de Redenção do Gurguéia o pagamento de R$ 4 mil, referentes ao salário do mês de dezembro e ao 13º de 2012, assim como o pagamento de R$ 20 mil, referentes a indenização moral.

Em audiência realizada em 15 de setembro de 2017, foi celebrado acordo entre o autor da ação e o município de Redenção do Gurguéia, onde ficou estabelecido o pagamento dos R$ 4 mil em duas parcelas. Entretanto, a prefeitura contrapôs-se ao pagamento da indenização inicialmente solicitado por Nilson, visto que o próprio renunciou ao pedido.

Outro lado

Procurado pelo Viagora, o prefeito Dr. Macaxeira falou sobre o assunto.

“O que ocorre é que seguimos orientação do setor Jurídico de não fazer acordo em primeira instância. Algumas ações da gestão passada já tinham sido feitas os acordos e nós efetivamos o pagamento. Ainda no começo da nossa gestão, iniciamos alguns acordos, mas aí o nosso jurídico pediu para que não fizessemos devido as finanças da prefeitura”, explicou o gestor.

Fonte: www.viagora.com.br/noticias/dr-macaxeira-e-acusado-de-favorecer-amigo-em-acao-trabalhista-82110.html

Coronavírus em Tempo Real