Cursos de curta duração ajudam a preparar executivos C-level

A ascensão na carreira costuma ser acompanhada por um dilema: por um lado, quem alcançou postos mais altos acumula experiência no mercado; por outro, na medida em que é promovido, o profissional precisa deixar a rotina de trabalho, que já domina tão bem, para cuidar de questões mais amplas, sem perder o engajamento com os funcionários. Essa dificuldade se apresenta aos profissionais que chegam ao chamado C-level (ou nível C).

Como fazer essa transição? Estudando. Cursos de curta duração, em especial, são capazes de fornecer atualização rápida, expandindo a visão de mundo do profissional. “Num primeiro momento, é importante levar os executivos a ampliar e conectar a visão sobre questões demográficas, sociais, políticas e econômicas que estão premindo o mundo dos negócios a revisar seus modelos”, explica Leni Hidalgo, psicóloga e doutora em administração pela Université de Pau et des Pays de l’Adour e professora do curso do Insper para chief human resources officer (CHRO).

Parceiros do CEO

No caso do curso do Insper, essa primeira etapa, introdutória, coloca lado a lado os CHROs e os chiefs financial office (CFOs) – em português, diretores de recursos humanos e financeiros, respectivamente. Dessa forma, o curso estimula o contato e a parceria dos dois líderes que, como explica a professora Leni Hidalgo, “são os dois braços do CEO”. É só num segundo momento do curso que especialistas em RH e em finanças são divididos para, em aulas separadas, debater como as grandes tendências globais impactam suas atividades específicas.

“Primeiro, o Insper lançou cursos para CHRO. A novidade agora é que integramos essas turmas à turma do curso para CFO”, explica Eduardo Pozzi, professor do curso de curta duração para CFO e doutor em administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP).

 

No caso das aulas centradas em CFO, o foco está na gestão de performance e de riscos corporativos. “O CFO precisa, por exemplo, interagir com o comitê de auditoria. A contabilidade é muito mais viva do que no passado, muitas regras mudam com frequência e o líder precisa estar atento para não encontrar dificuldades para reporta-las, explica Eduardo Pozzi, que lembra que o diretor financeiro é também um guardião da estratégia da companhia.

Já o CHRO se vê diante de mudanças de gestão, provocadas pelas novas lógicas de negócio. “Como ele remunera, por exemplo, freelancers que atuam na nuvem? Nessa segunda etapa do curso, vamos debater alternativas para lidar com esses dilemas”, explica Leni Hidalgo.

Profissionais preparados

Num terceiro e último momento, os líderes de RH e de finanças se reencontram para uma rodada de debates. “A diferença do nosso programa é deixar claro que essa dupla tem que andar integrada”, diz Leni Hidalgo.

No fim do curso, os participantes vão se ver preparados para estruturar e liderar ações estratégicas em suas áreas e para a empresa como um todo, assim como assumir um papel ativo no comitê executivo das companhias, interagindo com seus pares, o CEO e os conselheiros. Esses são desafios inerentes aos cargos de C-level, como aponta o C-Suite Challenge 2018 Report, produzido pelo Meeco Leadership Institute.

O levantamento indica que os líderes precisam estar preparados para municiar a companhia com estratégias concretas para lidar com a transformação pela qual passam o mundo, a economia, os métodos produtivos e a gestão de pessoas.

Aulas de julho a setembro

A próxima edição dos cursos de curta duração para CFO e CHRO do Insper terá carga horária de 64 horas, com início das aulas em 29 de julho e término em 4 de setembro. Mais informações nas páginas de cada curso:

CFO: https://www.insper.edu.br/educacao-executiva/cursos-de-curta-duracao/financas/cfo/

CHRO: https://www.insper.edu.br/educacao-executiva/cursos-de-curta-duracao/lideranca-e-pessoas/chief-human-resources-officer/

Fonte: exame.abril.com.br/carreira/cursos-de-curta-duracao-ajudam-a-preparar-executivos-c-level